CONTATO: gomesaccioly@gmail.com - 68 99775176

quarta-feira, 12 de dezembro de 2018

Médico-veterinário é aliado na perícia para desvendar crimes de maus-tratos contra animais

Nesta terça-feira (11), a Câmara dos Deputados e o Senado Federal aprovaram projetos de lei (PL) que alteram a Lei de Crimes Ambientais (nº 9.605, de 12 de fevereiro de 1998) e aumentam a pena para crimes de maus-tratos praticados contra animais. No entanto, para que os envolvidos em qualquer caso de maus-tratos praticados contra animais sejam efetivamente responsabilizados, o Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV) alerta as autoridades e a população sobre a necessidade da perícia veterinária para a produção da prova material, a comprovação mais relevante dos inquéritos policiais.
Lei 5.517/68, artigo 5º, alínea g, que dispõe sobre o exercício da profissão, estabelece que é competência privativa do médico-veterinário “a peritagem sobre animais, identificação, defeitos, vícios, doenças, acidentes, e exames técnicos em questões judiciais”.
Segundo o presidente da Comissão de Medicina Veterinária Legal do CFMV, Sérvio Reis, mesmo na ausência do corpo do animal, é possível, por meio da perícia criminal realizada por médico-veterinário, investigar crimes de maus-tratos praticados contra animais.
A perícia em Medicina Veterinária Legal vai analisar os vestígios encontrados no local de crime, mesmo após a limpeza, e seguir a linha do tempo em todos os locais envolvidos; irá examinar os instrumentos e objetos utilizados como potenciais armas, que também contém vestígios, como sangue e impressões digitais; vai verificar as filmagens e fotos disponíveis; irá analisar os depoimentos das fontes que testemunharam o fato; vai observar todos os apontamentos do prontuário, quando o animal for atendido por médico-veterinário; poderá realizar a reprodução simulada dos fatos para esclarecer os acontecimentos; e, mesmo quando o animal for cremado, é possível fazer diligência no crematório, recolher material e analisar o registro da incineração.
 “Como todo esse cenário, aí sim o perito terá um exame forense completo, que será consubstanciado em um laudo pericial atestado por médico-veterinário do serviço oficial ou autônomo, para ser entregue ao delegado e incluído nos autos do inquérito policial”, explica o presidente da Comissão.
Reis alerta que, de acordo com o artigo 158 do Código de Processo Penal (CPP), quando uma infração deixar vestígios é indispensável o exame de corpo de delito.
“Isso sempre é feito para seres humanos, mas ainda é pouco realizado para animais, apesar da previsão legal para todos e em qualquer situação”, diz o médico-veterinário, que é perito criminal federal e atua em perícias de crimes contra a fauna.
Ainda acrescenta que o inciso I, do artigo 6º do CPP, determina que, “logo que tiver conhecimento da prática da infração penal, a autoridade policial deverá dirigir-se ao local, providenciando para que não se alterem o estado e conservação das coisas, até a chegada dos peritos criminais”.
“Infelizmente isso ainda acontece pouco nos crimes praticados contra animais”, afirma o perito.
O CPP estabelece, em seu § 1º, do artigo 159, que “na falta de perito oficial, o exame será realizado por duas pessoas idôneas, portadoras de diploma de curso superior preferencialmente na área específica, dentre as que tiverem habilitação técnica relacionada com a natureza do exame”.
“Com isso, o delegado pode chamar o profissional de uma universidade, de outro órgão público ou até mesmo da iniciativa privada, desde que seja médico-veterinário, com conhecimento técnico para esclarecer os fatos, de preferência com prática em perícias”, esclarece Reis.
Legislação
No final de outubro, o CFMV publicou a Resolução nº 1.236, que institui o regulamento para conduta do médico-veterinário e do zootecnista em relação a constatação de crueldade, abuso e maus-tratos aos animais.
Pela primeira vez, uma norma brasileira traz conceitos claros e diferencia práticas de maus-tratos, de crueldade e de abuso.
A Resolução veio justamente para fortalecer a segurança jurídica, auxiliar os profissionais que atuam em perícias médico-veterinárias, bem como servir de referência técnica-científica para decisões judiciais relacionadas aos maus-tratos praticados contra animais. Leia mais.
Confira também:
Assessoria de Comunicação do CFMV

TARAUACÁ: IFAC PODE SUSPENDER AULAS DO TURNO DA NOITE POR CAUSA DOS CONSTANTES ASSALTOS AOS ESTUDANTES DO INSTITUTO

No início dessa semana, um bandido armado rendeu um vendedor de lanche e um estudante do Instituto Federal do Acre – IFAC, Câmpus Tarauacá, os ameaçou com uma escopeta e levou celular e dinheiro. Como o estudante não tinha dinheiro nem celular eles queriam matá-lo. O jovem não morreu por causa da intervenção do vendedor. Esse é somente mais um dos tantos episódios de violência que acontece nas proximidades e no trajeto da cidade até o câmpus, devido a escuridão e falta de segurança.
Há anos profissionais e alunos reclamam da falta de iluminação pública nessa área, bem como um transporte coletivo para os alunos. A maioria dos estudantes vai para a escola em bicicletas enfrentando a escuridão e os riscos de sofrerem violência.
Diante do agravamento da situação o Diretor Geral do IFAC-Tarauacá, Professor Sérgio Flórido disse que estão na eminência de suspenderem as atividades do instituto no turno da noite, o que prejudicaria muitos estudantes.
Profissionais, estudantes e familiares estão pedido socorro às autoridades dos poderes constituídos para que tomem providências e garantam a segurança para que seja mantido o oferecimento dos cursos no período noturno.
Documento enviado pelo IFAC

terça-feira, 11 de dezembro de 2018

TARAUACÁ: MARILETE DEVE ANUNCIAR REFORMA ADMINISTRATIVA NO FINAL DE DEZEMBRO

Em entrevista na manhã desta terça feira, 11 de dezembro, na RadCom Nova Era FM, o Assessor de Comunicação da Prefeitura de Tarauacá Radialista Gilson Amorim, disse que a prefeita Marilete deve anunciar mudanças no governo do município, no dia 30 de dezembro. Deve haver mudanças no primeiro e segundo escalões da administração.
Gilson falou ainda, entre outros assunto, sobre as obras que a prefeitura está realizando, como pavimentação em tijolos de um quilômetro de rua no Bairro Ipepaconha, reformas das Praças Tarauacá, Praça da Cohab, Postos de saúde, revitalização do canteiro central da Avenida Antônio Frota e a pavimentação de ruas no início de 2019. Citou o pagamento do décimo terceiro e do salário de dezembro do funcionalismo municipal antes do natal, entrega de veículos novos para os serviços da prefeitura e outras ações.
O assessor disse, por fim, que na próxima quinta feira (13), haverá uma ação no Bairro Ipepaconha intitulada “A Prefeitura na Comunidade” com atividades recreativas e serviços sociais para a população. Na oportunidade, será entregue a obra de pavimentação da rua principal que dá acesso ao bairro.

ACRE: POLICIA FEDERAL REALIZA OPERAÇÃO “SANTINHOS” E PRENDE POLÍTICOS DO ESTADO

SANTINHOS PRESOS – Foram presos pela Polícia Federal durante a operação Santinhos, nesta terça-feira (11), em Rio Branco (AC), a deputada estadual Dra. Juliana e o pastor e vereador Manuel Marcos, presidente da Câmara Municipal de Rio Branco, eleito deputado federal. Ambos são do PRB, ligados à Igreja Universal do Reino de Deus, do bispo Edir Macedo.

A operação da PF é de combate a desvios de recursos públicos do fundo partidário e do fundo especial de financiamentos de campanha, além de outros crimes eleitorais e lavagem de dinheiro.

Mais de 100 policiais de vários estados auxiliaram no cumprimento de 17 mandados de busca e apreensão em residências e gabinetes de investigados, em órgãos públicos, na Câmara Municipal e na Assembleia Legislativa do Estado do Acre. Também foram cumpridos oito mandados de prisão expedidos pela Justiça Eleitoral do Acre.

Muito provavelmente o Ministério Público Eleitoral pedirá à Justiça Eleitoral para que não sejam diplomados.

Por Altino Machado

MOVIMENTO "VEM PRA RUA TARAUACÁ" REALIZA MANIFESTAÇÃO NESTA QUINTA FEIRA EM FRENTE A PREFEITURA.


Será realizado na próxima quinta feira, 13 de dezembro, um PROTESTO para chamar a atenção e a responsabilidade das autoridades frente aos graves problemas que a população de Tarauacá está enfrentando: água, luz, telefonia, saneamento básico, ruas esburacadas, etc.

O ato está marcado para as 8 horas da manhã em frente o prédio da prefeitura Municipal de Tarauacá. Cada manifestante deverá trazer um cartaz com a sua mensagem de reivindicação.

SINTEAC, SIMTAR, Associações de Moradores, Rádio Comunitária, igrejas, direções de escolas e outras forças, vão comandar a mobilização do povo para o manifesto. 

A manifestação é pacífica e deverá acontecer a partir das 8 horas da próxima quinta feira, 13/12, com concentração em frente a prefeitura. 

Os manifestantes entregarão um documento aos vereadores, prefeita e Ministério Público, pedindo ação rápida e imediata no enfrentamento dos problemas que o nosso município enfrenta.

TARAUACÁ: Fiéis da Assembleia de Deus Ministério de Madureira celebra os 23 anos da instituição com a realização do XXIII congresso unificado


No último final de semana, a ADM TK sob a égide do Pastor Brito realizou o XXIII congresso unificado da instituição. O evento é alusivo à festividade dos 23 anos da criação da Igreja na cidade de Tarauacá, dos quais sete anos são presididos pelo pastor Brito- um recorde, pois os demais não ficaram quatro anos à frente da obra na terra do abacaxi. 

Ao expor sua mensagem aos fiéis, Raimundo Brito, líder da igreja Assembleia de Deus Ministério de Madureira em Tarauacá, uma das instituições religiosa do seguimento evangélico que mais cresce no município, disse: “Ninguém pode parar a macha vitoriosa de uma Igreja unida”. A frase do condutor do rebanho não tem apenas um significado emotivo, mas também traduz em números positivos o crescimento extraordinário durante estes sete de Brito no comando da ADM. Ao todo foram criadas 22 congregações nos mais diversos lugares de Tarauacá. As congregações estão edificadas na BR, nos ramais, rios e igarapés do município.

Segundo informações da direção da ADM TK, são mais de mil membros, dos quais 15 são ministros (os evangelistas- pastores e pastoras), 205 obreiros, cerca de 120 diáconos e diaconisas, cem cooperadores e aproximadamente 70 presbíteros. As pessoas que assumem estes cargos são os responsáveis por difundir as escrituras sagradas, bem como auxiliar diretamente o pastor presidente.

Além disso, a instituição possui um núcleo teológico com quarenta alunos matriculados, quatro departamentos: de senhora, o infantil, de mocidade e o de assistência social.

Segundo Brito, o departamento de assistência social da Igreja já promovendo o trabalho de beneficência na comunidade, todavia, este trabalho será fortalecido ainda mais quando os oito jovens que estudam medicinas retornarem de seus estudos. “Além de evangelizar, a Igreja poderá ofertar atendimentos à sociedade, principalmente na área da saúde, algo tão carente no país”, comentou.

O nome congresso unificado é porque une os departamentos de oração e mocidade. Tem ainda, a reunião anual de obreiros, cujo objetivo é renovar a mesa diretora e definir as metas as serem cumpridas no próximo ano.

O evento contou com a presença do pastor João, de Cruzeiro do Sul, do evangelista Hernandes, de Plácido de Castro, e da cantora Jiumara, de Rio Branco.

Por Leandro Matthaus

Fotos cedidas pelo Maksuel Carmo

Jorge Viana participa da Conferência do Clima, na Polônia


Como relator da Comissão Mista de Mudanças Climáticas, senador integra comitiva de parlamentares no encontro que reúne líderes de todo o planeta.

O senador Jorge Viana integra a comitiva de parlamentares que participam nesta semana da Conferência das Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP24), realizada na Polônia. Como ex-presidente e atual relator da Comissão Mista de Mudanças Climáticas do Congresso Nacional, Jorge Viana participou da primeira agenda com os parlamentares neste domingo (09) com uma reunião da União Interparlamentar (UIP), entidade que reúne congressistas de todo o mundo. Senadores, deputados e comissões dialogam com lideranças, ativistas e especialistas presentes ao evento na tentativa de garantir o cumprimento dos compromissos assumidos no Acordo de Paris.

A conferência que começou no dia 2 de dezembro, em Katowice, Polônia, vai até a próxima sexta-feira (14). Ao longo da última semana, foram divulgados estudos que apontam os riscos do aquecimento global para o meio ambiente, para a saúde humana e para o desenvolvimento da economia.

O senador Jorge Viana entende que as pessoas precisam entender a necessidade de conter o avanço do aquecimento global. “A grande discussão deste evento é o que os parlamentos do mundo têm que fazer vinculados ao acordo do clima. Não é só ratificar o acordo, mas agora todo o aparato de legislação voltado para uma economia de baixo carbono [que diminui o impacto da produção e queima de energia, bem como a emissão de gases do efeito estufa]. Agora, como alcançar isso é o problema. Não pode ser algo que venha só do governo, não pode ser de um segmento da sociedade, tem que ser de todos”, disse o senador.

Segundo Jorge Viana, a COP24 tem importância destacada na reta final da implementação definitiva do chamado Acordo de Paris, assinado em 2015 na COP21. O senador citou relatórios apresentados pela Organização das Nações Unidas (ONU) que reforçam que metas de limitar o aumento da temperatura global em até 2 graus Celsius, ou 1,5 graus Celsius, como prevê o Acordo de Paris, só serão alcançadas se os países adotarem de forma urgente medidas que reduzam de forma significativa as emissões de gases de efeito estufa.

“Em uma reunião da União Interparlamentar, nós vimos que o gasto com as consequências da mudança do clima chega a US$ 400 bilhões e que o custo de prevenção é bem mais baixo. As Nações Unidas falam que os desastres climáticos estão se multiplicando e que a cada dólar investido em prevenção são economizados sete dólares em reconstrução”, apontou.

Os representantes do Parlamento brasileiro ainda realizaram nesta segunda-feira (10) o Evento Parlamentar, no Espaço Brasil, um ambiente específico que todo país participante tem direito dentro do pavilhão onde ocorre a COP24. O tema foi a agenda do Legislativo frente às mudanças climáticas e a política de redução de resíduos tóxicos.

“O custo que a humanidade vai pagar se não implementar o Acordo de Paris será muito alto. É mais barato, mais civilizado e mais importante para a vida no planeta a prevenção e a implementação de uma economia e de uma vida de baixo carbono”, declarou Jorge Viana em suas redes sociais.

Além do senador Jorge Viana, estão na Polônia os senadores João Capiberibe (PSB-AP), Lídice da Mata (PSB-BA), Hélio José (Pros-DF) e Gladson Cameli (PP-AC). Os deputados federais Janete Capiberibe (PSB-AP), Leonardo Monteiro (PT-MG) e Thiago Peixoto (PSD-GO) também participam dos debates. 

(ASSESSORIA)

TARAUACÁ: PROFESSORA FRANCISCA ARAGÃO E SUA INVEJÁVEL BIOGRAFIA - UMA VIDA INTEIRA DEDICADA À EDUCAÇÃO

Francisca Aragão Leite - 60 anos dedicados à educação
Dezembro de 2018, marca a aposentadoria da professora Francisca Aragão Leite das atividades de educadora que exerceu desde o ano de 1958, quando iniciou sua missão de educadora atuando como professora alfabetizadora. De lá pra cá, atuando na sala de aula, na direção de escola ou na gestão da educação, construiu uma trajetória reconhecidamente competente e invejável,    Foram 60 anos dedicados à educação do município de Tarauacá.


Num evento promovido pelos servidores do Núcleo Estadual de Educação para marcar a sua despedida, a professora Aragão falou aos presentes: "Um trabalho que me dediquei exclusivamente com muito esforço, determinação, compromisso e responsabilidade. Hoje colhemos os frutos do que plantamos ao longo dessa jornada. Agradeço às equipes das escolas, do núcleo de educação e aos professores de Tarauacá. Estou tranquila e serena, porque foram anos de muita luta, trabalho e construção. a sociedade vai colher os frutos desses longos anos de trabalho. Obrigado e quero dividir com vocês todo amor que tenho na minha alma e tudo isso posso resumir numa palavra que é GRATIDÃO" , destacou.

Abaixo, leia a biografia da Francisca Aragão Leite.

Francisca Aragão Leite nasceu no Seringal Novo Porto, Rio Murú, em Tarauacá, hoje município de Jordão, no dia 29 de outubro de 1942. Filha de Ataliba Ximenes e de Maria Lima Aragão, com os quais tinha uma excelente relação de amor e carinho. Ambos sabiam ler e escrever, por isso valorizava a Educação e o respeito para com o ser humano. Criada nesse clima familiar e harmonioso herdou de sua mãe a paixão pela educação, que a levou a aceitar todos os desafios a ela colocados. 

Iniciou seus estudos no Seringal Novo Porto, em uma sala de aula, construída no barracão onde morava, com uma professora paga por seu pai. Em 1952, aos 10 anos veio para Tarauacá, estudou na escola João Ribeiro e concluiu o 1º grau em 1957. 

Em 1958 ano começou a trabalhar como professora num programa da prefeitura com alfabetização de jovens e adultos, que funcionava no prédio da Maçonaria. 

Em 1964 fundou o Instituto São José, na qual foi a 1ª professora. 

Em 1968 foi para Manaus, cursar a escola normal no convento Preciosisssimo Sangue. 

Em em 1973, concluído o curso, foi para Rio Branco cursar faculdade de pedagogia pela Universidade Federal do Acre. Enquanto estudava, continuava a trabalhar como professora. Nesse período exerceu a função de diretora das escolas Delzuíte Barroso e Plácido de Castro. 

Em 1976 foi nomeada representante do governo estadual na educação em Tarauacá exercendo o cargo de Inspetora de Ensino, período em que fundou a Escola de Ensino Médio Dr. Djalma da Cunha Batista, onde também exerceu o gargo de diretora. 

“Só a educação transforma”, diz Francisca Aragão (Foto: Angela Peres/Secom)
Uma matéria publicada na Agência de Notícias do Acre no ano de 2013, conta como foi a atuação de Francisca Aragão para criar em Tarauacá uma escola de ensino médio (Leia abaixo)
---------------------------------------------------------------------------------
No ano de 1976, a isolada Tarauacá ainda não tinha uma escola de “segundo grau” (ensino médio). Francisca Aragão Leite, inspetora de ensino, não se conformava. E correu atrás de seu sonho.

Com a cara e a coragem, viajou para Rio Branco e pediu uma audiência com o governador do Estado, Geraldo Mesquita. Esperou, esperou e conseguiu. Ele a ouviu e disse:
– A senhora é muito ousada de vir aqui pedir o segundo grau para Tarauacá! Nem Feijó, que é a minha cidade, tem!
Ela não se intimidou:
– Governador, o que eu sei é o que a minha cidade precisa...
– Mas quem foi que custeou a sua passagem até aqui?
– Eu mesma, governador.
E não arredou. Ele, diante da insistência daquela mulher que sabia muito bem o que queria, viu-se numa saia justa e tentou uma última cartada:
– Mas aí a senhora teria que ser a diretora.
Francisca, que já trabalhava de manhã e à tarde, encarou o período noturno também:
– Aceito.
E voltou para sua Tarauacá com a sonhada vitória nas mãos. Essa é apenas uma das histórias que demonstram a fibra dessa tarauacaense com seus anos de vida dedicados à Educação em seu município. 
Formanda da segunda turma de Pedagogia da Universidade Federal do Acre (Ufac), Francisca iniciou sua carreira profissional em 1958, como professora municipal. Além de atuar 36 anos em sala de aula, passou por diversos cargos em sua área: coordenadora, inspetora, diretora e, como não poderia deixar de ser para alguém do seu gabarito, secretária municipal. Também foi presidente da União dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime). Os obstáculos não têm sido poucos, nem pequenos. A educadora narra o esforço de fazer chegar os programas educacionais até as escolas de mais difícil acesso no município. Relata expedições de burro e de barco. Há localidades que estão distantes oito dias, rio acima.
Não bastasse, durante anos, ao perceber que os alunos da escola que dirigia não tinham opções de lazer, promovia, nos fins de semana, atividades recreativas em sua rua. Como resultado, Francisca é testemunha dos progressos do Estado: E há conquistas mais subjetivas, mas igualmente relevantes: “A noção de cidadania está se desenvolvendo. A gente está conscientizando a família sobre a educação dos filhos. As pessoas hoje pedem escolas e reclamam da atuação de profissionais quando não estão satisfeitas”, observa. 

Assim, pelas suas palavras e atitudes, Francisca transmite credibilidade, determinação e satisfação consigo própria. Poder afirmar, com sinceridade “gosto muito da minha vida e do que faço”, como ela faz, olho no olho, é um dos maiores patrimônios que um ser humano pode desfrutar. Tarauacá – e o Acre – precisam tirar o chapéu para uma pessoa assim. Que, com simplicidade, ideais e muito trabalho ajudou a construir uma realidade melhor para o mundo em que vive.
---------------------------------------------------------------------------------
Até 1982, dividia suas atividades assim: Nos períodos da manhã e tarde dedicava-se à inspetoria de ensino. À noite, além de diretora, também lecionava na escola de ensino médio, como professora de didática geral e de estrutura e funcionamento. 

Vereadora de 1983 a 1988
Além de educadora Francisca Aragão exerceu o mandato de vereadora de 1983 a 1988, período que corresponde a 6ª legislatura da Câmara de vereadores de Tarauacá. 

Em 1989 assumiu a secretaria municipal de educação, conseguindo trazer para o município o primeiro curso de ensino superior na área de pedagogia contemplando 80 vagas, o qual ficou como coordenadora até 1992. 

De 1993 a 1997, exerceu os cargos de professora e coordenadora do ensino médio.


Mesmo com seu tempo dedicado exclusivamente para a educação, a Professora Aragão dedicava-se ainda à obra de Deus, como católica praticante e atuantes nas ações desenvolvidas pela paróquia São José, da qual é integrante.

De 1997 a 2012 exerceu o cargo de  Secretaria Municipal de Educação, período em que criou as condições para realização de concurso público, formação em ensino médio para professores rurais e implantação do Plano de Cargos Carreiras e Salários – PCCR dos servidores da educação municipal, após a criação do FUNDEB. Nessa época, foi eleita presidente da União de Secretarias Municipais de Educação – UNDIME, período em que conseguiu dinamizar o trabalho das Semes, com cursos de formação, congressos e fóruns. 

Em 1999 foi nomeada gerente do Núcleo da Regional de Tarauacá. 

De 2003 até hoje exerceu a função de Coordenadora Estadual de Educação em Tarauacá, função pela qual se destacou brilhantemente qualificando e elevando os níveis de educação do município a patamares invejáveis. Isso se deve ao fato de sua incansável luta pela oferecimento de ensino superior, chegando a formar somente em Tarauacá 1.250 (um mil, duzentos e cinquenta) professores, através de programas e parcerias do governo do estado com as universidades federais como UFAC, UFAM, UNB e outras. 

Modernizou a gestão no Núcleo de Educação Estadual no município com a criação de um organograma definindo coordenações para setores específicos no campo administrativo, pedagógico e rural. Contribuiu com a construção e ampliação das escolas rurais nas comunidades residentes nos Rios Murú, Rio Tarauacá e BR 364, para oferecer ensino fundamental e médio. 

Somente no ensino médio através do Programa Asas da Florestania foram formados uma média de 2000 (dois mil aluns). 

Quando assumiu o núcleo encontrou 11 escolas em condições precárias e hoje já são 29 com estruturas físicas adequadas, incluindo aí as escolas indígenas.

Na zona urbana foram revitalizadas, climatizadas e equipadas todas as 8 (oito) escolas, criando assim um ambiente favorável às ações pedagógicas necessárias à formação dos alunos. 

1.250 (mil duzentos e cinquenta) professores foram formados em nível superior durante sua gestão através dos programas como PROFORMAÇÃO, PROSABER, PROFIR, PROEMAT E PARFOR. Em março de 2019 mais 250 professores das áreas rurais estarão se formando em nível superior pelo PARFOR. 

Em 2018 duas mudanças significativas no ensino médio em Tarauacá. A implantação do Ensino de Tempo Integral na Escola Djalma Batista e Ensino Médio Regular na Escola João Ribeiro. Colaborou e firmou parcerias para a criação de Programas como Proerd e Bombeiro Mirim, implantados com participação do núcleo de educação. 

Para quem começou sua carreira de educadora trabalhando como alfabetizadora de jovens e adultos, a Professora Francisca Aragão encerra assim seu ciclo na educação como uma das grandes colaboradoras para a criação e implantação do Programa “Quero Ler”, que promove uma verdadeira revolução no processo de alfabetização do povo que não teve oportunidade de estudar.



Colaboraram 
Leandro Matthaus - Blog Tarauacá Agora e Portal Tarauacá
Raimundo Accioly - Blog do Accioly e Portal Tarauacá
Onides Bonaccorsi Queiroz - Agência de Notícias do Acre

segunda-feira, 10 de dezembro de 2018

TARAUACÁ: EMIKA CACAU FOI A GRANDE CAMPEÃ DO FESTIVAL GOSPEL 2018

A cantora Emika Cacau foi a grande vencedora da quarta edição do Festival da Canção Gospel realizada no último sábado, na quadra da Escola Municipal José Augusto de Araújo em Tarauacá.
O evento foi promovido pelo Sinteac e reuniu 10 cantores e cantoras das diversas denominações religiosas do município. O grande público que compareceu vibrou a cada interpretação.
Julio César (segundo Lugar) e Emika Cacau (campeã)
De acordo com a escolha do júri, composto pelo pastor Derkian, Léa Freitas, Abimael Caxias e Edna Tavares, o resultado foi o seguinte:
Emika Cacau – 1º lugar – Prêmio de R$ 500,00
Julio César – 2º lugar – Premio de R$ 300,00
Helaine Criss – 3º lugar – Prêmio de R$ 200,00
Sandra Freitas – 4º lugar – Prêmio de R$ 100,00
O pastor Derkian com sua banda fez uma apresentação especial na abertura e no encerramento do evento.
Foram parceiros do Sinteac na realização do Festival:
RADIO COMUNITÁRIA NOVA ERA FM
vereadores Janaina Furtado, Cacique Nasso, Raquel Souza, Príncipe, Veinha, Lauro Benigno
Deputados Jenilson Leite e Jesus Sérgio
Prefeitura de Tarauacá
Clinica Espaço e Saúde
Clínica São Bernardo
Duhellen Modas
Auto Posto Figueiredo
Ari eletricista
Escola José Augusto
Igrejas Evangélicas
SEME,
Coordenação: João Maciel, Eurico Paz, Roneida, Orleilson, Raimundo Brasil, Wesley e Marreta

Conscientização ainda é o maior desafio para o combate ao HIV

A Organização das Nações Unidas (ONU) e a Organização Mundial da Saúde (OMS) instituíram o 1º de dezembro como o Dia Mundial de Luta conta a Aids.
Neste dia e no decorrer do mês, o mundo inteiro intensifica as discussões sobre o vírus e a doença. É exatamente isso que você está lendo. São coisas diferentes. Ser portador do HIV não significa, necessariamente, ter Aids.
Nelson Guedes, gerente da Divisão de Infecções Sexualmente Transmissíveis/Aids da Sesacre, deixa mais fácil o entendimento dessa diferença. “Ter HIV significa que o indivíduo é portador do vírus. Já Aids é quando a pessoa manifesta sintomas decorrentes da presença desse vírus em seu organismo. Ou seja, é possível ser infectado pelo vírus e não manifestar a doença”, explica.
Aliás, isso hoje em dia é muito comum e apontado pelos especialistas como um dos principais motivos para o aumento dos casos de pessoas portadores de HIV no Acre.
Com o avanço dos remédios, os chamados coquetéis, é comum que as pessoas vivam com o HIV durante muitos anos sem apresentar nenhum sintoma. “Isso é muito bom, lógico. Afinal, estamos falando de qualidade de vida. Diferentemente de décadas atrás, quando a pessoa, ao descobrir que tinha o HIV, era como receber seu atestado de óbito. Em compensação, como morre menos gente, as pessoas estão se prevenindo menos, deixando de usar o preservativo, o único método eficaz de evitar o contágio durante uma relação sexual”, afirma Guedes.
Os números comprovam a afirmação do profissional da Sesacre. Os casos de HIV cresceram no estado 25% entre 2016 e 2017, saltando de 128 para 160 registros. Este ano, até o início de outubro, já haviam sido notificados 131 novos casos.
O primeiro registro de Aids no Acre é de 1987, quando foram oficialmente comprovados os primeiros casos no estado. Nesses 31 anos, já foram registrados 1.055 casos da doença. O número de mortes no Acre soma 56 desde 2014, sendo seis já em 2018.
“O que queremos intensificar neste mês, apesar de que fazemos isso o ano todo, é mostrar para as pessoas que o HIV continua infectando e a Aids, matando no Acre. Os números cresceram entre os jovens, e a nossa preocupação é que percebemos que a população está se cuidando menos. Podemos afirmar, sem dúvida alguma, que conscientizar as pessoas sobre a importância do sexo seguro ainda é o nosso maior desafio”, esclarece Guedes.
Assessoria Sesacre