CONTATO: gomesaccioly@gmail.com - 68 99775176

terça-feira, 31 de maio de 2022

SECRETARIA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO LANÇA CENSO ESCOLAR 2022 NA REGIONAL TARAUACÁ - FEIJÓ - JORDÃO


A Secretaria Estado de Educação, Cultura e Esportes do Governo do Acre, através do Núcleo de Tarauacá,  realizou nesta terça feira, 31 de maio, a solenidade de lançamento do Censo Escolar 2022, na Regional Tarauacá-Feijó-Jordão. 
A cerimônia ocorreu às 9h no auditório da Escola Djalma Batista e contou com a presença de equipes gestoras escolares e  coordenadores das representações da SEE dos três municípios.


Principal instrumento de coleta de informações da educação básica, o Censo Escolar é a mais importante pesquisa estatística educacional brasileira. É coordenado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) e realizado em regime de colaboração entre as secretarias estaduais e municipais de educação e com a participação de todas as escolas públicas e privadas do país.


De acordo com coordenador no Censo Escolar no Acre, Jelsoni Calixto, de fato a coleta dos dados começou que começou hoje no município, vai até dia 1º de agosto. “Nessa primeira fase são coletadas todas as informações sobre escola, gestor, aluno e estrutura de todas as 1.500 unidades escolares existentes no Acre, sendo 613 da rede estadual, 900 das redes municipais e o restante das redes privada e federal”, destacou.


A coleta da pesquisa estatística é dividida em duas etapas. Após a conclusão desta primeira, tem início a apuração sobre a chamada Situação do Aluno, em que são levantadas informações relativas ao movimento (quantos alunos foram transferidos, deixaram de frequentar a escola ou faleceram) e ao rendimento dos estudantes (quantidade de aprovados ou reprovados), ao término do ano letivo. A divulgação dos dados finais da primeira etapa no Diário Oficial da União (DOU) está prevista para a segunda quinzena de dezembro.


Os responsáveis devem enviar os dados por meio do Sistema Educacenso. As matrículas e os dados escolares coletados servem de base para o repasse de recursos do governo federal e para o planejamento e a divulgação de dados das avaliações realizadas pelo Inep. 


O Censo Escolar também é uma ferramenta fundamental para que os gestores possam compreender a situação educacional do Brasil, das unidades federativas e dos municípios, bem como das escolas, permitindo acompanhar a efetividade das políticas públicas.


Durante a cerimônia, em seu discurso, a Coordenadora do
Núcleo da SEE em Tarauacá, Professora Janaina Furtado, deu boas vindas às representações dos municípios e destacou a importância da participação das escolas nesse processo. "É muito bom estarmos sediando esse grande evento e recebendo nossos amigos de Jordão e Feijó para essa pauta tão importante. Peço a todos que atentem para a importância desse processo, pois, o censo é o nosso principal instrumento para efetivação de políticas públicas que vão nortear novos avanços na educação", disse.


Em sua fala a Secretária Municipal de Educação Professora Lucicléia Lima disse que o município estará empenhado nesse trabalho importante, parabenizou a equipe do Censo Escolar e garantiu a colaboração da Seme no processo de coleta dos dados. "
Fico maravilhada em participar de algo sublime para a educação. É a partir desses números oficiais que vamos poder desenvolver políticas educacionais para nossas crianças tarauacaenses" enfatizou.  


Participaram também do encontro, o coordenador do Núcleo da SEE em Feijó Professor Everly Damasceno, Secretário Adjunto de Educação de Feijó Professor Valdemir, Assessora Indígena de Jordão Leonilce Alves Sombra, Chefe do Departamento de Gestão de Redes da SEE, Maria José Nascimento, Chefe da Divisão de Gestão e Monitoramento de Dados Escolares, Martins Rodrigues Casas, Coordenador Estadual do Censo Escolar e Jelsoni Calixto.


Um momento de grande emoção foi quando Janaina pediu um minuto de aplausos para o Professor Dagoberto Guimarães, popular DGO, que durante muitos anos foi o responsável pelo Censo escola no Núcleo de Educação. DGO morreu vítima de Covid-19 em 23 de junho de 2021. 

Assessoria/Núcleo/SE/Tarauacá
Com Agência/Acre

TARAUACÁ: VENDE-SE TERRENO NO BAIRRO CORCOVADO - RUA ASFALTADA, REDE DE LUZ, AGUA E INTERNET

 


TARAUACÁ: Escola Rosaura Mourão da Rocha garante matrícula de estudante estrangeira


Recentemente, a Escola Estadual de Ensino Fundamental “Rosaura Mourão da Rocha”, localizada no Bairro Senador Pompeu, no Município de Tarauacá, recebeu em seu corpo discente a Colombiana Salazar Guzman Danna Valentina, de 14 anos de idade, que durante a pandemia, acompanhou seus pais que são vendedores ambulantes e acabaram se estabelecendo no Município.

A legislação brasileira determina que estrangeiros têm direito ao acesso à educação da mesma forma que as crianças e os adolescentes brasileiros, conforme expresso pela Constituição Federal (artigos 5° e 6°), pelo Estatuto da Criança e do Adolescente (artigos 53° ao 55°), pela Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (artigos 2° e 3°) e pela Lei da Migração (artigos 3º e 4º). Além disso, a Lei dos Refugiados (artigos 43º e 44º) garante que a falta de documentos não pode impedir seu acesso à escola. (que não é o caso).

Jocilene Ozório, gestora da Escola, fala apreensiva do desafio proposto, “é a primeira vez que recebemos um estudante estrangeiro em nosso corpo discente, e sem dúvida, um grande desafio para toda a equipe gestora da escola, será necessário adaptações nas práticas pedagógicas para que a aluna consiga aprender a língua portuguesa e, assim, acompanhar as aulas, assimilar os conteúdos propostos e, de fato, se inserir, não apenas na comunidade escolar, mas na sociedade como um todo,” ressaltou a gestora.

Fernanda Alves, professora da disciplina de Matemática, relata que têm que se reinventar todas as aulas para garantir o ensino/aprendizagem da estudante, e fala da experiência:

“Em relação a comunicação da disciplina de matemática, Valentina está entendendo bem, quando percebo que está com dificuldade em compreender determinada frase ou palavra, pesquiso no google tradutor, retransmito a ela e pergunto se entendeu, e assim vou levando, utilizo todas as práticas pedagógicas para que ela consiga compreender os conteúdos, e a cada aula um desafio diferente,…” finalizou a professora.

A estudante está devidamente matriculada no 7º ano, e os demais alunos da classe, estão super felizes com a nova colega, pois, eles estão aprendendo o espanhol e ela o Português, facilitando assim, com o processo de ensino e aprendizagem.

Por extradoacre.com

segunda-feira, 30 de maio de 2022

Unicesumar lança graduação híbrida em enfermagem em Feijó e Tarauacá

(Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

No curso – autorizado com nota máxima pelo MEC – o estudante tem presencialidade uma vez por semana no polo e a possibilidade de ingressar no mercado do trabalho em quatro anos

A pandemia aumentou o interesse de muitas pessoas em cursos de graduação na área da saúde, como medicina, enfermagem, biomedicina, farmácia e nutrição.

Essa disparada foi sugerida por uma pesquisa global feita pela Pearson que ouviu 2 mil pais e alunos universitários. Entre eles, 64% dos pais disseram ter percebido aumento de interesse dos filhos em assuntos relacionados à ciência com o surgimento da pandemia. No mercado educacional a tendência também foi percebida. De acordo com a Análise Setorial da Hoper 2021, divulgada no início de 2022, em condições de crise econômica, os cursos de saúde ficam em evidência, a graduação de Enfermagem, por exemplo, teve um crescimento de 81,8%, se comparada a métrica brasileira.

Além disso, de acordo com o último relatório do Censo da Educação Superior divulgado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) e pelo Ministério da Educação (MEC), em 2020 os cursos de ensino a distância (EAD) no Brasil receberam mais matrículas do que os presenciais, tanto na rede pública quanto na privada. Esta é a primeira vez que o país registra maior ingresso de alunos nos cursos a distância em relação à modalidade presencial.

Atenta às tendências, mas também às necessidades do mercado de trabalho, a EAD Unicesumar – uma das maiores universidades a distância do Brasil – passa a ofertar a graduação de Enfermagem com a metodologia híbrida. O curso terá duração de quatro anos, ou seja, um ano a menos que as graduações em enfermagem de outras instituições, e as aulas terão início já em abril. Isso só é possível devido a concentração de disciplinas e uma metodologia diferenciada que potencializa a aprendizagem dos estudantes.

A possibilidade de ofertar a graduação em Enfermagem já está sendo estudada pela instituição há alguns anos, e agora, com a autorização do MEC, o curso foi estruturado e deve atender à crescente demanda de estudantes na área. “Quando começamos a ofertar cursos de saúde e bem-estar percebemos o interesse dos estudantes pela área, mas além disso, entendemos que a metodologia híbrida atende às necessidades e supre as expectativas da nova geração sobre aprender a partir de tecnologia, usar recursos de aprendizagem disruptivos, ter práticas imersivas e uma sala de aula inovadora.

A proposta para o curso de Enfermagem da EAD Unicesumar integra e interconecta tudo isso, fatores que contribuíram para o MEC avaliar o curso com excelência em todos os aspectos”, conclui orgulhoso JanesTomelin, pró-reitor de ensino da EAD Unicesumar.

A nova graduação de Enfermagem ofertada pela EAD Unicesumar foi autorizada pelo MEC recentemente. Para isso, em setembro de 2021, uma comissão de avaliação do Ministério da Educação (MEC) visitou a instituição, os quesitos avaliados, a instituição obteve nota 5 em todos, avaliação máxima. Para conquistar a nota máxima, o curso foi avaliado em três dimensões: a organização didático-pedagógica, o corpo docente e tutorial previsto para o curso e a infraestrutura (tanto física quanto digital) a ser utilizada para sua realização. Na EAD Unicesumar, o curso de Enfermagem terá práticas desde o primeiro ano, além de uma grade com disciplinas como Inovação Tecnológica na Enfermagem e Empreendedorismo. Tudo isso, com características que só as instituições têm, entre elas: tradução em LIBRAS; Aulas conceituais; Realidade aumentada; Aula mediada com telepresencialidade e Ambientes profissionais (práticas reais no mercado de trabalho). O estudante deverá comparecer ao polo apenas uma vez por semana.

De acordo com a coordenadora do curso Juliana DalcinDonini, o principal objetivo do curso é formar o profissional para atuar no cuidado ao ser humano com formação generalista, crítica e reflexiva. “Por meio de ensino de qualidade garantido pela utilização de metodologias inovadoras e tecnologia educacional, o graduando em enfermagem será preparado para sua profissionalização, adquirindo habilidades e competências necessárias para sua inserção no exigente mercado de trabalho da atualidade. Os estudantes experimentarão práticas ativas conectadas, no polo e na comunidade, por meio de simuladores realísticos, laboratórios, mas também estágios em UBS e hospitais”, conta a coordenadora.

Mercado aquecido

De acordo com uma matéria publicada pelo G1, pelo menos 123 concursos públicos estão com inscrições abertas no Brasil e reúnem mais de 20 mil vagas em cargos de todos os níveis de escolaridade. Boa parte dessas vagas são para profissionais da área da saúde, ou seja, um momento promissor para cursar enfermagem e ter ainda mais chances de conquistar uma vaga no mercado.

Ensino qualificado

Reconhecidos pelo MEC, os cursos da metodologia híbrida integram o método convencional presencial, em sala de aula e com a interação de um professor, com o aprendizado on-line, que utiliza as tecnologias digitais para possibilitar o acesso ao conhecimento com o controle do tempo e ritmo por parte do estudante.

Na Unicesumar, por exemplo, o aluno desenvolve na prática, estudando duas disciplinas por vez e aplicando conceitos em momentos presenciais nos laboratórios. Além disso, o material didático é repleto de ferramentas como games, realidade aumentada, recursos 3D, inteligência artificial e robótica para uma experiência de aprendizagem ativa.

Método único de ensino e aprendizagem

Há 15 anos atuando no ensino EAD e há quatro anos ofertando graduações com a metodologia híbrida, a Unicesumar tem um método único de ensino e aprendizagem para cada um dos cursos. “A abordagem pedagógica híbrida não é uma adaptação do modelo presencial, existe uma construção particular que o fortalece. Diferente do modelo totalmente à distância, onde as aulas acontecem exclusivamente em ambientes on-line, a metodologia híbrida é um modelo pedagógico que integra a tecnologia e a flexibilidade das aulas on-line, com a vivência e a prática presencial do ensino regular. Além disso, os estudantes têm a oportunidade de aprenderem por meio de experiências de aprendizagem apoiadas nos recursos como realidade aumentada, simuladores, jogos interativos, podcasts e vídeo 360ª. Na Enfermagem, além de tudo isso, os estudantes terão práticas em laboratórios de habilidades e simulações realísticas, hospitais e UBSs.”, afirma Tomelin.

O modelo pedagógico adotado no curso de Enfermagem tem a capacidade de gerar maior impacto na vida dos estudantes, influenciando-os aprenderem mais e melhor, dando-lhes a chance de desenvolver seu conjunto de habilidades e aumentarem ainda mais o repertório de possibilidades profissionais.

Contatos:
Travessa Floriano Peixoto, 135
Centro – Feijó – ACRE
(68) 99240-3472

Avenida Antônio Frota, 33
Centro – Tarauacá – ACRE
(68) 99240-3472

(Assessoria)

Novo modelo da CNH começará a ser emitido nesta quarta-feira - Documento incorporou código internacional utilizado nos passaportes

A partir deste 1º de junho, a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) passará a ser emitida em um novo formato. Segundo a Secretaria Nacional de Trânsito (Senatran), o documento ficará “mais moderno” e, cumprindo determinações legais, possibilitará o uso do nome social e da filiação afetiva do condutor que assim desejar.

Foi também incorporado um código internacional utilizado nos passaportes, que permite ao condutor embarcar em terminais de autoatendimento nos aeroportos brasileiros. Como terá informações impressas em inglês e francês, além do português, o documento facilitará o uso em outros países.

As mudanças estavam previstas desde dezembro de 2021, quando o Conselho Nacional de Trânsito publicou a Resolução nº 886, que regulamenta especificações, produção e expedição da CNH.

A substituição da CNH não é obrigatória. Ela será implementada de forma gradual para novas habilitações, na medida em que os condutores venham a renovar ou emitir a segunda via do documento.

Conforme previsto na resolução - que detalha os itens de segurança que passarão a ser adotados e apresenta como será o visual do documento -, a nova versão da carteira de motorista trará uma tabela para identificar os tipos de veículos que o condutor está apto a conduzir, bem como informações sobre o exercício de atividade remunerada do motorista e possíveis restrições médicas.

A nova CNH adotará uma nova cor. Além do verde, terá também o amarelo e novos elementos gráficos para dificultar a falsificação e fraudes. O documento terá um QR Code e poderá ser expedido nos formatos físico, digital ou ambos.

(Agência/Brasil)

Estão abertas as inscrições para o Encceja - 2022 Avaliação é voltada a jovens e adultos


Estão abertas, de hoje (24) até o dia 4 de junho, as inscrições para o Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja) 2022. A avaliação é voltada a jovens e adultos que não concluíram os estudos na idade apropriada para cada etapa de ensino.

As provas, tanto para os ensinos fundamental e médio, serão aplicadas no dia 28 de agosto, em todas as unidades federativas. Para acessar a página de inscrição no Encceja 2022, clique aqui.

A idade mínima para os participantes do exame voltado ao ensino fundamental é de 15 anos, na data da prova. Para o ensino médio, a idade mínima é de 18 anos completos. O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) informa que a participação no Encceja Nacional 2022 é voluntária e gratuita.

O edital com diretrizes, procedimentos e prazos para a edição 2022 do exame foi publicado no Diário Oficial da União do último dia de 16 de maio.

De acordo com o Inep, não haverá, nesta edição, necessidade de apresentação de justificativa de ausência para aqueles que se inscreveram mas acabaram não fazendo a prova da edição anterior.

“Também não será necessário o pagamento da taxa de ressarcimento para os ausentes no ano passado que vão fazer as provas novamente. A medida foi tomada tendo em vista o contexto da pandemia de covid-19 que impediu a realização da última edição”, informou o instituto.

As cidades que aplicarão o Encceja 2022 serão disponibilizadas no sistema do exame e no portal do Inep.

Os atendimentos especializados deverão ser solicitados durante o período de inscrições (de 24 de maio a 4 de junho).

(Agência brasil)

domingo, 29 de maio de 2022

O clima de intimidação e censura na educação brasileira


Malu Delgado - 
Diante de cada vez mais relatos de intimidação e ameaças contra professores, 80 instituições reeditam Manual de Defesa contra a Censura nas Escolas. Além de gênero e sexualidade, falar sobre política provoca ruído.

Há três semanas o psicólogo escolar José (nome fictício) foi chamado para uma reunião com a direção da instituição de ensino na qual trabalhava e representantes da Secretaria Municipal de Educação. Foi sumariamente demitido, sob alegação de má conduta profissional e inadequação de conteúdos às respectivas faixas etárias de alunos.

Dias antes, José, que é homossexual assumido, havia tido uma conversa com as crianças sobre bullying. Contou aos alunos do 4º e do 5º anos do ensino fundamental que, quando começou a trabalhar na escola, ouviu uma das crianças dirigir-se a um colega chamando-o de "veadinho de merda". Disse-lhes, no meio da conversa, que aquilo lhe machucou profundamente, não apenas pela grave agressão à criança, mas também pelo fato de ele ser homossexual.

A aula sobre problemas comportamentais cotidianos selou ali seu destino: a demissão da escola da rede pública de um pequeno município no interior de Minas Gerais, com pouco mais de 3.500 habitantes, ocorreria dias depois.

O caso de José reflete uma rotina de medo, censura e intimidação que professores e profissionais da educação têm vivenciado no Brasil, numa escala ascendente nos últimos anos. A pedido do profissional, seu nome e o município não serão revelados, pois ele aguarda a rescisão contratual com a escola e teme represálias. José, no entanto, está decidido a buscar uma reparação na Justiça.

"Não fui notificado sobre nada. Estava em casa e me chamaram para uma reunião no Departamento de Educação. Não especificaram nada. Disseram que tentariam arrumar outro emprego para mim, que gostavam muito do meu trabalho, que eu era participativo. Fizeram só elogios, o que foi totalmente contraditório. Pareceu que estavam cortando o mal pela raiz, só porque eu era gay", disse o psicólogo à DW Brasil. Após o episódio, ele optou por deixar a cidade, devido às "fofocas". Atualmente está empregado numa cidade do interior de São Paulo.

O profissional contou, ainda, que a mãe de um dos estudantes levou fotos do perfil dele no Instagram à prefeitura. Em uma delas, ele aparecia sem camisa. Havia, ainda, outra foto dele com as crianças (os menores de costas, sem serem identificadas).

"A cidade começou a dizer que eu fui demitido porque falava de sexo com alunos, que eu os obrigava a fazerem coisas. Foram vários relatos aleatórios, sendo que nem contatos diretos com os estudantes eu tinha, apenas nos momentos de intervenções. Eu nunca tinha sofrido homofobia em dimensão tão grande. Foi uma ferroada que marcou minha vida."

Casos como esse motivaram 80 instituições de educação a reeditar neste ano o Manual de Defesa contra a Censura nas Escolas, "em resposta ao perverso fenômeno ultraconservador na educação, em especial aos ataques aos princípios constitucionais da liberdade de ensino e do pluralismo de concepções pedagógicas e às normas educacionais".

A primeira edição do manual foi publicada em 2018, com orientações aos profissionais, e explicações sobre as legislações vigentes e o direito constitucional das crianças a uma educação plural e não discriminatória. A versão atualizada contém detalhes das recentes decisões do Supremo Tribunal Federal, de 2020, que reforçam a inconstitucionalidade de teses defendidas pelo movimento Escola Sem Partido e de legislações que interditam os conteúdos de educação sexual e sexualidade nas escolas.

O objetivo da publicação é fornecer aos profissionais respostas pedagógicas, políticas e jurídicas possíveis em situações de conflito, propondo mediações e tentativas diálogo com a comunidade escolar e as famílias. As respostas judiciais, recomenda o manual, devem ser buscadas em casos de agressões abusivas e injustas.

A cortina de fumaça da chamada "ideologia de gênero"

Outra iniciativa, da Human Rights Wacth (HRW), reflete também a gravidade do momento. A organização fez um levantamento intitulado "Tenho medo, esse era o objetivo deles": esforços para proibir a educação sobre gênero e sexualidade no Brasil.

O relatório traz a análise de 217 projetos de lei aprovados no Brasil entre 2014 e 2020 cujo objetivo central é proibir a educação sexual nas escolas, com veto a materiais didáticos e abordagem dos temas em diferentes disciplinas. A justificativa sempre é a de que há "doutrinação" ou a chamada "ideologia de gênero". Como o relatório da HRW enfatiza, tal termo carece de definição precisa, mas "seus defensores convenientemente o empregam para atacar diversos temas, como educação sexual abrangente, casamento entre pessoas do mesmo sexo, feminismo, direitos reprodutivos e direitos das pessoas trans”.

De acordo com a pesquisa da HRW, 47 desses projetos de lei foram aprovados, e pelo menos 20 estão em vigor em diferentes municípios do país e um no Ceará como um todo. Outros 41 projetos estão em tramitação em legislativos locais, sendo 15 deles na Câmara dos Deputados. Os números estão subestimados, de acordo com a própria organização, pela dificuldade de acesso à base de dados de municípios.

O Supremo Tribunal Federal (STF) já derrubou oito leis do tipo, julgadas pela corte em 2020. Já os tribunais inferiores barraram 17 iniciativas. Há ainda, na pauta do Supremo, mais quatro casos que tratam da "ideologia de gênero" aguardando julgamento.

"A Suprema Corte já emitiu excelentes sentenças em defesa do direito das crianças e adolescentes à educação sobre gênero e sexualidade, e contra a censura de professores que tentam abordar essa temática, mas há mais casos pendentes que devem ser resolvidos. As decisões sólidas e bem fundamentadas do STF têm auxiliado na consolidação do direito das crianças e adolescentes a esse conteúdo didático", afirma Cristian González Cabrera, pesquisador da divisão de Direitos LGBT da Human Rights Watch e coordenador do relatório.

No entanto, Cabrera sustenta que "o Conselho Nacional de Educação deveria elaborar uma resolução estabelecendo que a educação em sexualidade no Brasil precisa estar de acordo com os padrões internacionais sobre educação integral em sexualidade e as decisões do STF".

Para o pesquisador da HRW, os professores não devem hesitar em denunciar os casos de ameaças, censura e intimidação e devem procurar sindicatos. "Há também organizações no Brasil, como a Ação Educativa, que ajudam a orientar os professores sobre o que fazer quando são assediados pelos temas que abordam em sala de aula."

Cabrera pontua que a educação integral em sexualidade é um direito de todas as crianças e adolescentes e que o veto a tais temas é inconstitucional. Além dos aspectos legais, o pesquisador salienta as evidências de que a educação em sexualidade e gênero previne violências sexuais contra crianças, gravidez precoce e indesejada, por exemplo.

"Estudos indicam que esse tipo de educação também pode contribuir para resultados mais amplos, como prevenir e reduzir a violência e a discriminação de gênero, bem como melhor conhecimento de igualdade de gênero, autoeficácia ao lidar com situações de risco e confiança dos estudantes. Proibir informações sobre gênero e sexualidade nas escolas atrasará a melhoria da sociedade nesses problemas."

"Intimidação também envolve política, não apenas gênero"

Os relatos de intimidação velada contra professores, assédio moral e ameaças, inclusive físicas, cresceram sobretudo nos últimos dois anos, afirma Celso Napolitano, presidente da Federação dos Professores do Estado de São Paulo (Fepesp). Napolitano afirma que a pandemia, com aulas remotas, agravou a situação, pois os profissionais ficaram muito vulneráveis e expostos.

"Muitos professores relataram intromissão nas aulas pelas famílias, por grupos de ensino, institutos, inclusive afetando a própria liberdade de cátedra. Esse grupo Escolas Abertas (que pressionou pelo retorno do ensino presencial no auge da pandemia) e o Escola sem Partido agiram de maneira muito intensa neste período da pandemia", relata Napolitano. A Fepesp é uma das instituições parceiras do manual contra a censura nas escolas.

Segundo o presidente da federação, que reúne 25 sindicatos representantes de professores que atuam em escolas privadas, os professores têm procurado ajuda, mas normalmente pedem que seus nomes e casos sigam anônimos, para evitar exposição na mídia. Nas escolas particulares, sustenta ele, é a política, e não temas de gênero, que mais provocam ruídos.

"Sobretudo agora, com essa polarização [em ano eleitoral], várias direções de escolas conversam com professores para evitarem alguns assuntos. Ou as famílias se manifestam diretamente contra qualquer ação do professor que consideram doutrinária ou politizada."

Nesse quesito, as disciplinas de história, filosofia, sociologia, por exemplo, seriam as mais prejudicadas. Um tema bastante interditado é o debate sobre a ditadura no Brasil, exemplifica. Na opinião do profissional, as consequências desta autocensura dos profissionais e deste clima de medo é extremamente prejudicial para a formação de crianças e adolescentes.

"Problema é estrutural e não se trata de movimento recente"

O cerco a professores, com demissões imotivadas e sumárias, intimidações, e interferência na liberdade de cátedra não são fenômenos recentes no Brasil, ainda que tenham ganhado visibilidade nos últimos anos, alerta Raquel Franzim, pedagoga e diretora de educação do Instituto Alana. A instituição também apoiou a publicação do manual contra a censura.

"Não é algo que nasceu com o Escola sem Partido. Por nossos estudos, há uma enorme subnotificação desses casos no Brasil. O que chega aos tribunais e à imprensa é muito menos do que de fato acontece", afirma a diretora. Ela alerta que a situação é mais delicada na educação básica, uma vez que no ensino superior há regulamentações mais claras que asseguram a liberdade de cátedra, o contraditório e o conhecimento científico.

"A escola trata, ou deveria tratar, as questões sociais de maneira distanciada do senso comum. O ensino não é só protetivo, ele é preventivo, para que não sejam formadas gerações que reproduzem violência de gênero, sexual e racial."

A diretora do Instituto Alana diz que o manual contra a censura foi uma iniciativa importante, pois as mudanças precisam acontecer nas comunidades escolares, com diálogo. "Essa questão não vai ser resolvida numa canetada. A autonomia pedagógica das escolas não pode ser absoluta e não ocorre sem diálogo com as comunidades escolares. A escola é o ambiente para se tratar, de maneira bastante respeitosa, as divergências", defende.

Segundo ela, as transformações são graduais e hoje, por exemplo, já houve bastante avanço em relação ao combate ao racismo nas escolas brasileiras. Apesar de reconhecer que a ambiência política e institucional no Brasil é bastante desfavorável para esse debate, a pedagoga insiste que é preciso admitir que se trata de um problema estrutural da educação brasileira, que expõe as crianças e jovens a ainda mais violências.

"Quem perde nessa equação sempre são crianças e adolescentes. Precisamos sair, neste momento, de debater o assunto como se fosse vinculado à agenda de costumes e à agenda moral. Não é. É um assunto estruturante. As crianças estão aprendendo pior sobre vários assuntos, sem tratamento adequado, científico e profissional dentro das escolas. Tal cerceamento prejudica a aprendizagem", conclui.

sábado, 28 de maio de 2022

TARAUACÁ: MUTIRÃO DE CIRURGIAS DO 'OPERA ACRE' INTENSIFICA AÇÃO EM TARAUACÁ E REGIÃO

Programa Opera Acre

A Secretaria de Estado de Saúde do governo do Acre através do Hospital Dr. Sansão Gomes de Tarauacá, cumpriu mais uma etapa do cronograma de cirurgias eletivas, realizadas por meio do projeto Opera Acre. 

Hospital Sansão gomes de Tarauacá

O Programa Opera Acre iniciou oficialmente em meados de 2019, mas foi suspenso mediante a pandemia. A programação foi retomada em março deste ano, levando mutirões que acontecem ao menos uma vez na semana, em todas as regionais do Acre, reduzindo o tempo de espera e a demanda reprimida de pacientes que aguardam por procedimentos cirúrgicos, além da realização de exames. No total estão sendo investidos R$ 2,8 milhões no programa. 

Programa Opera Acre

Neste ultimo final de semana, foram realizadas 24 cirurgias. O trabalho iniciou na quinta feira  (26) e se estendendo pelos dia 27 e 28 (sexta e sábado), reduzindo assim a lista de espera dos pacientes do nosso município. 

Diretora administrativa do HSG, Waldiane Araújo

De acordo com a Diretora administrativa do HSG, Waldiane Araújo em Tarauacá somente nos meses de março, abril e maio já foram realizadas 96 (noventa e seus) cirurgias. "Ainda temos uma demanda reprimida de 200 (duzentas) pessoas a espera de cirurgias e a meta do nosso governo é zerar, muito  em breve, essa fila. A equipe do Hospital Sansão Gomes está de parabéns pelo empenho e dedicação, pois para que os dias de cirurgias aconteçam com sucesso há uma força operacional por trás de tudo. Uma equipe que trabalha alinhada e em sintonia para que nos dias de cirurgias todos os nossos pacientes sejam acolhidos da melhor forma possível", disse Waldiane.

sexta-feira, 27 de maio de 2022

TARAUACÁ: MP APURA AUMENTO EXCESSIVO DE GASTOS COM DIÁRIAS PELA PREFEITA MARIA LUCINÉIA


O Ministério Público do Estado do Acre, por intermédio do promotor de Justiça cível de Tarauacá, Júlio César de Medeiros, instaurou um procedimento preparatório, publicado no Diário Oficial Eletrônico nº 1278, na data de ontem, visando apurar os gastos desproporcionais com diárias da prefeita de Tarauacá, Maria Lucinéia, que está licenciada do cargo para tratamento de saúde.

Segundo apontou o MP, no âmbito do Relatório de Comunicação de Operações Atípicas – COAT nº 006/2022 restou evidenciado o pagamento de R$ 15.175,00 (quinze mil cento e setenta e cinco reais), a título de despesas com diárias à prefeita Maria Lucineia Nery de Lima Menezes, durante o exercício de 2021. Além disso, foi verificado o pagamento de R$ 19.534,74 (dezenove mil quinhentos e trinta e quatro reais e setenta a quatro centavos) a título de ressarcimento de despesas no ano de 2021.

Todavia, o que chamou a atenção do Ministério Público, além dos aludidos gastos, foi o reajuste indiscriminado dos valores das diárias pagas para prefeito e vice-prefeito de Tarauacá, conforme estabelecido no Decreto nº 134/2021, onde prevê expressamente o aumento de até 228,5% (duzentos e vinte e oito, vírgula cinco por cento) em relação às diárias fora do Estado, totalizando a importância de R$ 1.314,00.

Conforme o membro do “Parquet”, o referido valor, inclusive, é superior à importância do salário mínimo nacional em 2022, no total de R$ 1.212,00. Em contrapartida, e conforme o site do IBGE, cerca de 47% da população de Tarauacá/AC viveria com menos de 1/2 salário mínimo por pessoa, o que a colocava na posição 9 de 22 dentre as cidades do estado, configurando-se assim, na visão do promotor de Justiça, uma desproporção flagrante face às peculiaridades e vulnerabilidade sociais da população tarauacaense.

Como providências, o promotor de Justiça requisitará que a Procuradoria do Município encaminhe cópia do Parecer sobre as justificativas para tal aumento no valor das diárias, bem como que realize a discriminação dos valores de diárias pagos em 2022, até a presente data, à Prefeita, ao Vice-prefeito, Secretários Municipais, Procuradores do Município e Assessores Jurídicos, para fins de confrontação, bem como no anseio salutar de comprovar a eficiência do Portal da Transparência do Município, em relação ao levantamento a ser feito pelo Núcleo de Apoio Técnico (NAT) do Ministério Público do Estado do Acre.

TARAUACÁ: MACAQUINHO ROUBA A CENA NO HOSPITAL SANSÃO GOMES


O professor Thiago Botelho, de 27 anos, que o diga. Ele conta que se surpreendeu ao chegar no hospital para receber atendimento e ver um macaco sentar no colo dos pacientes pedindo e dando carinho a todos.

Quem não gosta de dar e receber carinho? 

Ainda mais se você estiver doente, precisando de atendimento médico, ou saindo de um plantão árduo de trabalho? 

Pois é!

Pacientes e funcionários que vão até o Hospital Dr. Sansão Gomes, em Tarauacá, no interior do Acre, contam com os afagos de um mascote mais do que especial, o macaco Ferrugem.

No primeiro momento, achei estranho porque nunca tinha visto esse macaquinho por lá. Ele tem até nome. Os funcionários o chamam de 'Ferrugem'. Eu esperava atendimento quando ele apareceu e ficou pulando no colo das pessoas. Algumas se assustaram, porque nunca tinham visto e ficaram com medo, mas, ele é muito dócil e nada agressivo. Fica lá fazendo carinho nas pessoas, se enrosca todo e deita na perna, brinca”, fala.

A cena foi gravada na última segunda-feira (23), mas 'Ferrugem' está todos os dias no hospital. O professor diz que logo percebeu que Ferrugem era conhecido pelos funcionários e que todos gastavam muito dele.

Está todo dia por lá. Quando sentou no meu colo fiquei com medo, aí gravei a cena dele no colo dos outros pacientes. Ele pulava de colo em colo. Depois vi que era mansinho, aí ele veio para cima de mim, e eu segurei ele no braço. O Ferrugem gosta de dar e receber carinho”, brinca.

A enfermeira Fabiana Martins, de 26 anos, trabalha no hospital e conta que o macaquinho vai até o local em todos os plantões.

Ele sempre vai para o hospital, geralmente à noite. É super dócil, quando chega já vem deitando na nossa perna e pedindo carinho, ele é uma graça”, fala. Fabiana diz que a primeira vez que os funcionários viram o macaco pensaram que ele tinha saído de uma floresta que fica nas proximidades do hospital. “Depois percebemos que ele era um animal domesticado, pelo carinho, a forma de ficar perto das pessoas. Alguns pacientes gostam e todos os funcionários também”, concluiu.

https://www.juruaonline.com.br/

Cidade que contratou Gusttavo Lima por R$ 800 mil tem só 2 hotéis e moradores querem alugar casas

Contratação de cantor pela prefeitura de São Luiz, ao Sul de Roraima, repercutiu nas redes sociais e virou alvo de investigação pelo Ministério Público de Roraima. Município tem 8 mil habitantes e distante cerca de 310 km da capital Boa Vista.

Hotel Veneza, um dos dois hoteis em São Luiz, cidade que contratou Gusttavo Lima — Foto: Arquivo Pessoal/Elizabete da Silva

A pacata cidade de São Luiz, no Sul de Roraima, ganhou destaque nesta semana devido ao contrato de R$ 800 mil pelo show do cantor Gusttavo Lima, alvo de investigação pelo Ministério Público. O município é o menor do estado e tem apenas dois hotéis para receber os turistas. Por conta disso, uma parte dos 8 mil moradores da região começou a planejar o aluguel da própria casa em meio a expectativa gerada pelo evento.

O show deve ocorrer em dezembro, na 24ª edição da vaquejada na cidade. Além de Gusttavo Lima, se apresentam na festa a dupla Cesar Menotti e Fabiano e a cantora Solange Almeida.

No Parque de Vaquejada, onde ocorrerá os shows, as estruturas estão cobertas por capim e a rodovia que passa em frente ao local, possui buracos e lama. Ao g1, o prefeito da cidade, James Batista (SD), informou que "tudo será remodelado, tanto a entrada da cidade, como o Parque". Informou ainda que o planejamento para receber o público "será divulgada em breve".

Entrada de São Luiz, cidade de 8 mil habitantes que vai receber Gusttavo Lima — Foto: Arquivo Pessoal/Elizabete da Silva

São Luiz tem um PIB de R$ 147,6 milhões, o segundo mais baixo do estado, ficando atrás apenas de Uiramutã, enquanto Gusttavo Lima tem um dos cachês mais altos do Brasil, chegando a até R$ 1,2 milhão por show.

Um dos hotéis da cidade, o Veneza, possui 22 apartamentos e fica ao lado da rodoviária da cidade. Já o Hotel Cristal, com 15 quartos, fica a apenas dois quarteirões de distância.

De acordo com o administrador do Hotel Veneza, Giovani Lopes, as expectativas são "enormes".

"No Hotel Veneza, vamos nos preparar dentro das nossas condições. Eu já estou fazendo algumas modificações, acho que até dezembro vai ficar muito bonito o aspecto físico do hotel. A expectativa é da melhor, mas a cidade precisa se preparar para receber, pois é um mega show. O hotel vai fazer o possível", conta o gerente.

TARAUACÁ: Prefeitura, Governo e Sebrae alinham realização da Agro Expo Tarauacá - Evento inicia dia 30 de junho


O prefeito em exercício, Raimundo Maranguape, recebeu na manhã desta quinta-feira, 26, a visita institucional das equipes da Secretaria de Empreendedorismo e Turismo (Seet) e do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) para alinhar a realização da Agro Expo Tarauacá.

A Feira de negócios ocorrerá entre os dias 30 de junho a 04 de julho, e visa movimentar as relações comerciais e aquecer a economia local.

O prefeito Raimundo Maranguape destacou a importância do evento para a economia local e para os produtores do município.

“Os nossos produtores estão ansiosos, como também os expositores, que querem expor seus produtos na vitrine do ramo agropecuário. É intenção realizarmos uma festa belíssima aos nossos munícipes. Nossa cidade, os nossos produtores todos merecem. Além disso, traremos uma atração nacional para participar da nossa Expo”, afirmou.

(Do Extra do Acre)

Datafolha: Lula tem 48% no primeiro turno, contra 27% de Bolsonaro


A pesquisa ouviu 2.556 pessoas nos dias 25 e 26 de maio em 181 cidades brasileiras. A margem de erro é de dois pontos para mais ou para menos.

Datafolha: Lula tem 48% no primeiro turno, contra 27% de Bolsonaro

Pesquisa do instituto Datafolha divulgada nesta quinta-feira (26) pelo jornal "Folha de S.Paulo" revela os índices de intenção de voto para a eleição presidencial de 2022.


Foram apresentados como pré-candidatos: Lula (PT), Jair Bolsonaro (PL), Ciro Gomes (PDT), André Janones (Avante), Simone Tebet (MDB), Luciano Bivar (União Brasil), Felipe D'Ávila (Novo), Eymael (DC), Pablo Marçal (Pros), General Santos Cruz (Podemos), Leonardo Péricles (UP), Sofia Manzano (PCB) e Vera Lúcia (PSTU).

Pesquisa estimulada de intenções de voto no 1º turno

Lula (PT): 48%
Jair Bolsonaro (PL): 27%
Ciro Gomes (PDT): 7%
André Janones (Avante): 2%
Simone Tebet (MDB): 2%
Pablo Marçal (Pros): 1%
Vera Lúcia (PSTU): 1%
Em branco/nulo/nenhum: 7%
Não sabe: 4%

Felipe d’Avila (Novo), Sofia Manzano (PCB), Leonardo Péricles (UP), Eymael (DC), Luciano Bivar (UB) e General Santos Cruz (Podemos) não pontuaram.

O Datafolha também pesquisou os votos válidos no primeiro turno, que são os votos excluídos os brancos e nulos. Pelo percentual, Lula venceria no primeiro turno se a disputa fosse hoje.

Votos válidos

Lula (PT): 54%
Bolsonaro (PL): 30%

A pesquisa ouviu 2.556 pessoas entre os dias 25 e 26 de maio em 181 cidades brasileiras. A margem de erro é de dois pontos para mais ou para menos.

A pesquisa estimulada não pode ser comparada com o levantamento anterior, de 22 e 23 de março, porque adota cenários diferentes. Naquele levantamento, Lula registrou 43% das intenções de voto, enquanto Bolsonaro tinha 26%.

Lula cresce na pesquisa espontânea

A pesquisa espontânea, que pode ser comparada com a anterior, aponta um avanço de Lula, que passou de 30% em março para 38% agora. Bolsonaro tinha 23% em março e oscilou para 22% no levantamento atual:

Lula (PT): 38% (30% em março)
Jair Bolsonaro (PL): 22% (23% em março)
Ciro Gomes (PDT): 2% (2% em março)
Simone Tebet (MDB): 1% (não foi considerada na pesquisa de março)
Outros candidatos: 3% (eram 5% em março)
Em branco/nulo/nenhum: 5% (eram 8% em março)
Não sabe: 29% (eram 32% em março)

Onde cada um vai melhor

Segundo o Datafolha, Lula vence Bolsonaro:

Entre as mulheres (49% a 23%);
Entre os que têm de 16 a 24 anos (58% a 21%);
Entre os que estudaram até o ensino fundamental (57% a 21%);
Entre as pessoas com renda de até dois salários mínimos (56% a 20%);
Entre os moradores da região Nordeste (62% a 17%);
Entre os autodeclarados pretos (57% a 23%);
Entre os católicos (54% a 23%);
Entre os assalariados sem registro (53% a 24%);
Entre os desempregados (57% a 16%);
Entre os que recebem Auxílio Emergencial (59% a 20%);

Bolsonaro, segundo o Datafolha, supera Lula nas seguintes categorias:

Entre quem tem renda superior a dez salários mínimos (42% a 31%);
Entre os empresários (42% a 31%)

Lula e Bolsonaro estão tecnicamente empatados entre os evangélicos (36% para Lula e 39% para Bolsonaro) e entre quem recebe de cinco a dez salários mínimos (37% para cada um).

FONTE: G1

TARAUACÁ: ACUSADOS DA MORTE DA ADOLESCENTE TAINÁ OLIVEIRA VÃO A JÚRI POPULAR - JULGAMENTO INICIA DIA 30 DE MAIO


O município de Tarauacá, no interior do Acre, presenciou o crime da jovem Tainá de Oliveira Silva, no dia 2 de setembro de 2018. O caso chocou a cidade. O julgamento dos acusados será dia 30 de maio e pode durar até dois dias.

Durante o julgamento serão ouvidas 11 testemunhas do caso.

Segundo os autos do processo, os imputados cometeram o crime por motivo não elucidado no feito e empregaram modo de execução que impediu sua identificação dado estado em que o corpo da vítima foi encontrado, nos fundos de um quintal na antiga rua 31 de março.

Saiba mais sobre o caso:

Tainá foi encontrada foi encontrada morta com sinais de espancamento em setembro de 2018.

Tainá de Oliveira da Silva, de 14 anos, foi encontrada morta com marca de agressões no dia 2 de setembro de 2018, no centro do município de Tarauacá, no interior do Acre. Segundo informações repassadas à polícia, na época a adolescente teria recebido uma ligação no início da noite do dia 2 e logo após tomar banho, por volta das 19h, saiu com um homem que teria chegado em sua residência e a convidado para sair.

Na tarde de segunda-feira (3), o corpo da adolescente foi encontrado totalmente despido, com marcas de perfurações no braço direito e aparentemente com o pescoço fraturado. As roupas, a bicicleta a qual a jovem andava e o celular sem a bateria, estavam jogados próximo ao corpo.

A polícia investigou se Tainá teria sido vítima de estupro. De acordo com o Delegado José Obetânio, titular da época, três suspeitos do crime já foram presos, entre eles, o namorado da vítima.

Dois vão a júri popular por morte de adolescente de 14 anos encontrada em matagal no AC 

Justiça do Acre decidiu levar a júri popular pelo crime de feminicídio J.M.S.M. e W.F.F. Os dois são suspeitos de matar a adolescente Tainá de Oliveira Sila, no dia 2 de setembro de 2018, em Tarauacá, no interior.

A decisão é do Juízo da Vara Criminal da Comarca de Tarauacá. O corpo de Tainá foi achado em um matagal um dia após o crime. Na época, a Polícia Civil informou que a adolescente foi estrangulada e havia a suspeita de abuso sexual.

A dupla foi presa e confessou que esteve com a adolescente no dia em que ela sumiu, porém, negou o abuso.

Ainda segundo a polícia, os suspeitos teriam mantido relações sexuais com a adolescente e, após isso, a estrangularam. O Tribunal de Justiça do Acre (TJ-AC) não divulgou se realmente houve o abuso sexual.

Na decisão, a Justiça destacou que a menor tinha um relacionamento conturbado com um dos suspeitos. No dia do crime, Tainá foi levada por um dos suspeitos até a casa do segundo envolvido no crime, onde foi morta.

A Justiça afirmou também que o relato de uma das testemunhas confirmou que os dois suspeitos discutiram na prisão sobre o crime. Um dos suspeitos acusava o outro de ter matado a menor.

“Não há como se extrair um juízo pleno de certeza acerca da caracterização de qualquer excludente ilicitude, a ponto de ensejar a absolvição sumária ou impronúncia, devendo-se deixar ao Egrégio Tribunal do Júri a inteireza de sua apreciação”, afirmou o juiz responsável pela sentença, Guilherme Fraga.

Com Informações 
Extra do Acre
Folha do Acre
G1-Acre

quinta-feira, 26 de maio de 2022

Artistas contrários à Lei Rouanet já faturaram com shows contratados com verbas públicas - Portais de transparência revelam que nomes como Zé Neto, Latino e Netinho já receberam repasses de entes governamentais

O cantor baiano Netinho e o presidente Jair Bolsonaro (PL) Foto: Reprodução

RIO - Artistas que criticam a Lei Rouanet, alegando que a legislação promove mau uso de recursos do governo, já faturaram em shows contratados por prefeituras, também com o uso de verbas públicas. Na madrugada desta sexta-feira, um vídeo de Zé Neto, da dupla com Cristiano, viralizou nas redes sociais. "Não somos artistas que dependem da Lei Rouanet. Nosso cachê quem paga é o povo", disse o membro da dupla que recebeu R$ 400 mil oriundos de recursos públicos para subir no palco em que fez a declaração em Sorriso, no Mato Grosso. Zé Neto aproveitou o holofote para criticar Anitta: "A gente não precisa fazer tatuagem no 'toba' para mostrar se a gente está bem ou mal", em alusão a tatuagem que a artista fez no ânus. Bolsonarista declarado, Latino saiu em defesa dos sertanejos e provocou a cantora carioca que alcançou sucesso internacional. "Tem artistas que tem a nomenclatura a zelar, outros tem o toba, né?”, escreveu em tuíte. Assim como Zé Neto e Cristiano, o dono do hit "Festa no apê" já recebeu dinheiro público.

Nas redes sociais, Latino ainda completou que "Enquanto alguns robôzinhos trabalham pra sustentar o marketing do “toba” internacional, papai aqui segue fazendo shows há 30 anos. Detalhe, sem ganhar um centavo de mentoria da oposição", disse junto a hashtag #Bolsonaro2022.

Destaque nos anos 2000, Latino recebeu cachê público em ao menos uma ocasião. Em 13 de agosto de 2014, ele fez um show de 35 minutos no evento "Arena Agosto Show", promovido pela prefeitura de Lagoa Santa (MG). De acordo com o portal da transparência do município, a presença custou R$ 120 mil reais.

Outro nome que está ao lado de Bolsonaro, o baiano Netinho, em março de 2019, usou as redes sociais para comentar a polêmica que envolveu Daniela Mercury após o lançamento da música "Proibido o Carnaval", em parceria com Caetano Veloso. À época, o presidente Jair Bolsonaro (PL) tinha escrito no Twitter que "esse tipo de 'artista' não mais se locupletará da Lei Rouanet". Diante da repercussão, o cantor Netinho disse que nunca usou a lei em questão.

O GLOBO apurou que o artista recebeu dinheiro público um pouco antes da pandemia. Em 21 de fevereiro de 2020, durante o carnaval, a prefeitura de Corumbá, no Mato Grosso do Sul, pagou R$ 125 mil reais por uma apresentação de uma hora e quarenta minutos do baiano. A performance ocorreu em uma das praças públicas da cidade.

No caso que tomou o Twitter e o Instagram no último final de semana, Zé Neto recebeu R$ 400 mil da prefeitura de Sorriso (MT), mas essa não foi a primeira ocasião. Em 20 de fevereiro deste ano, a dupla recebeu R$ 403 mil do município de Sebastianópolis do Sul (SP) por show no 23° Rodeio da cidade. Em outubro, eles receberão R$ 550 mil da prefeitura de Extrema, em Minas Gerais, para apresentar um show na Festa do Peão de Boiadeiro, evento da cidade.

Em fevereiro, o governo Bolsonaro oficializou, por meio de uma nova Instrução Normativa (IN), uma série de mudanças na Lei Rouanet, que foi criada em 1991. A redução de 50% no teto, inclusão da "arte sacra" e diminuição de cachês em 93% foram algumas das alterações feitas na legislação.


Fonte: O Globo