CONTATO: gomesaccioly@gmail.com - 68 99775176

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Segurança Pública reconhece gravidade das falhas que resultaram em ferimento e morte de pessoas

26/02/2010 às 20h39m

Em coletiva autoridades da segurança pública assumem falhas graves durante operações

Com informações, ac.gov
“Nossas operações não vão diminuir e o nosso cuidado e atenção vão aumentar” afirmou a secretária Márcia Regina.

Em coletiva na tarde desta sexta-feira, os comandos das Polícias Civil e Militar e a secretária de Segurança Pública, Márcia Regina, reconheceram a gravidade dos erros cometidos durante as operações realizadas pelas polícias Militar e Civil esta semana em Rio Branco.
Eles informaram que no caso da abordagem na noite da última quinta-feira, que resultou na morte de uma estudante e no ferimento de uma pessoa que conduzia uma motocicleta e furou o bloqueio de uma blitz, os dois policiais que atiraram no casal foram presos em flagrante logo após os disparos. Eles estão presos e à disposição da justiça e também será instaurado um inquérito administrativo para apuração dos fatos.
 “Não há desculpa, todos falhamos. Nosso erro causou a morte de uma pessoa inocente”, enfatizou o comandante da Polícia Militar, o coronel Romário Célio. A secretária de Segurança completou dizendo que apesar do esforço do Governo do Estado para que situações como esta não aconteçam, a falha ocorreu. “Trabalhamos no processo de fortalecimento e qualificação da corporação. A PM tem o papel de proteger a vida e são treinados para isso, para não errar. Este é um momento de reflexão, e garantimos a sociedade que vamos apurar com rigor”.
O subcomandante da PM, Paulo César, destacou que as operações de abordagem são regidas por uma normativa, segundo a qual os policias só podem fazer uso de arma de fogo caso os condutores além de furar o bloqueio ofereçam risco a vida de outras pessoas, caso contrário é permitida a perseguição com viaturas.
Henrique Corinto, secretário de Justiça e Direitos Humanos, também participou da coletiva, informando que o Governo está prestando assistência às famílias das vítimas e dos envolvidos. “Estamos fazendo o acompanhamento das famílias e oferecendo o apoio técnico e jurídico”.
Os representantes da Segurança Pública destacaram ainda que as rotinas das operações deverão ser analisadas e revistas para que as ações sejam aprimoradas, e continuem primando por resultados positivos, como a diminuição dos índices de criminalidade. “Nesta operação de ontem minutos antes da ocorrência um veículo com registro de roubo foi apreendido”, informou Romário Célio.
As operações de blitz continuarão sendo executadas. Neste fim de semana mais nove serão desencadeadas na capital. “nossas operações não vão diminuir e o nosso cuidado e atenção vão aumentar” afirmou a secretária de segurança pública, Márcia Regina. 

oriobranco.net

Um comentário:

Anônimo disse...

É incrível como esses caras passam quase um ano num curso, saem de lá com o narizinho impinado se achando os melhores do mundo. Enquanto a justiça não lhes dá um imprensão eles não caem na real. Afirmam que só eles estão preparados para usar armas, querendo intimidar as pessoas de bem e por pura imperícia e incompetencia causam uma tragédia dessas. O que alguns policiais militares precisam é se mancar, calçar as sandálias da simplicidade e prestar um trabalho de qualidade para a sociedade. Precisam também de mais cursos de ética profissional para aprender a tratar as pessoas com educação, coisa que poucos tem. Digo isso como forma de protesto, mas vale ressaltar que muitos policiais não merecem esta mensagem porque trabalham certinho como manda a cartilha.