CONTATO: gomesaccioly@gmail.com - 68 99775176

terça-feira, 6 de abril de 2021

Gladson Cameli afirma que Socorro Neri só não será secretária se não quiser


Apesar de sua atenção voltada ao combate ao novo coronavírus e a aquisição de vacinas para imunizar a população acreana, o governador Gladson Cameli (PP), bem ao seu estilo, sempre que é acionado fala também em política. Segundo ele, a ex-prefeita de Rio Branco, professora-doutora Socorro Neri (PSB) será, oficialmente, convidada a ingressar no governo nos próximos dias. “A Socorro só não fará parte de nossa gestão se não quiser”, afirma o governador.

Gladson não deixou claro qual secretaria a ex-prefeita comandará, mas poderá ser a Educação ou Gabinete Civil, uma vez que a primeira pasta vive impasse desde a terceira operação policial que resultou no afastamento do secretário, professor Mauro Sérgio e a segunda ter Flávio Silva como secretário interino, desde quando Ribamar Trindade pediu demissão para tomar posse como conselheiro do Tribunal de Contas do estado (TCE).

O governador fez vários elogios à ex-prefeita e relembrou as parcerias que firmaram executaram juntos, sobretudo nas ações de prevenção e combate ao novo coronavírus. Nas redes sociais, Socorro Neri tem feito vários comentários em apoio às decisões tomadas por Gladson e torce para que o novo prefeito Tião Bocalom (PP), para o bem e felicidade geral da população, mantenha o mesmo ritmo de ação conjunta com o governo estadual.

PSB NA BASE

Ao contrário do que alguns têm dito, o governador afirma que pretende conquistar apoio do PSB, partido da ex-prefeita Socorro Neri. Em nível nacional, o PSB é um partido de centro esquerda, mas no Ace faz muito tempo que suas lideranças se distanciaram dos partidos de esquerda.

Além disso, o governador mantém bom relacionamento com o presidente regional, ex-deputado federal César Messias, que tem base eleitoral no vale do Juruá, notadamente em Cruzeiro do Sul, onde foi prefeito e com o presidente municipal, deputado Jenilson Leite, liderança de Taruacá com projeção na capital.

Embora alguns aliados tenham externado descontentamento com a presença de partidos de centro esquerda na base governamental, como o PDT e agora provavelmente o PSB, o governador afirma que já começou a tratar esse assunto internamente de forma muito sensata e transparente.

Pela reação natural das lideranças do PSB em relação a uma aproximação com o governo, Gladson não deverá encontrar muitas dificuldades para consolidar o apoio político do partido na Aleac e abrir o caminho para aliança eleitoral, em 2022.

O líder da bancada do PSB na Aleac, deputado Manoel Moraes, já vem votando com o governo em vários projetos. Ou seja, de fato, parte do PSB já se afinou com o governo. Jenilson Leite faz oposição, mas de forma pontual, sempre mostrando equívocos e apontando caminhos.

fonte: https://www.oriobranco.net/

Nenhum comentário: