CONTATO: gomesaccioly@gmail.com - 68 99775176

terça-feira, 26 de novembro de 2013

No Acre, população protesta por estádio em reforma há cinco anos

População pede entrega do estádio Naborzão, em Tarauacá
 (Foto: Raimundo Accioly/Arquivo Pessoal)

Enquanto a torcida se preparava para assistir a semifinal do Campeonato Acreano de Futsal da 1ª Divisão no ginásio Ruinet Lima de Mattos, neste sábado (23), no município de Tarauacá, interior do Acre, entre as equipes do Verona e Madureira, cerca de 200 pessoas se reuniram em frente ao local para protestar contra o atraso na reforma do estádio Nabor Junior, conhecido como Naborzão, em reforma há quase cinco anos.

O protesto, denominado #VEMPRARUATARAUACÁ, foi divulgado através das redes sociais e nas rádios locais. Com rostos pintados e cartazes nas mãos, a população aderiu e compareceu, demonstrando a insatisfação com o fato de a cidade está há cinco anos sem nenhuma competição, pois o estádio é o único campo de futebol do município.

De acordo com Raimundo Accioly, um dos organizadores, a intenção dos manifestantes é chamar atenção das autoridades responsáveis e para isso a participação dos times locais, atletas, torcedores, associações de moradores e escolinhas de futebol foi importante para dar legitimidade aos pedidos.

- A obra tinha previsão de ser concluída em cinco meses, mas já dura mais de quatro anos e está paralisada há dois. Não podemos sequer realizar um torneio amador, por falta de espaço. É a voz popular reivindicando seus direitos e que o problema seja resolvido. O estádio representa a história do futebol taraucaense. Muitos craques surgiram e fizeram história neste gramado. Os mais jovens não tiveram chance ainda - lamenta.

Em comunicado oficial da Secretária de Esporte do Estado, a previsão para que o estádio seja liberado é de 45 dias. De acordo com o Governo, a reforma do estádio Naborzão é realizada com recursos de emenda parlamentar da deputada Perpétua Almeida, no valor R$ 896 mil, com contrapartida do Governo do Estado, no valor de R$ 105 mil.

Por Nathacha Albuquerque
g1- Rio Branco, AC

Nenhum comentário: