CONTATO: gomesaccioly@gmail.com - 68 99775176

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Aneel marca para setembro leilão do Linhão do Juruá

O Linhão entre Rio Branco e Cruzeiro do Sul terá mais de 650 quilômetros.

Depois de se beneficiar da perenização do tráfego da BR-364, integrando-se totalmente às outras regiões acreanas, a população do Juruá também será beneficiada em breve com energia elétrica segura e de qualidade.

A novidade virá com a construção dos 657 quilômetros do Linhão entre Rio Branco e Cruzeiro do Sul, cuja licitação, na modalidade leilão, acaba de ser marcada para o dia 28 de setembro próximo, pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Solicitada no ano passado pelo governador Tião Viana, a construção do novo Linhão do Acre vai integrar as regiões dos rios Iaco-Purus, Tarauacá-Envira e Juruá ao Sistema Interligado Nacional (SIN), que gerencia mais de 96% de toda a energia elétrica de qualidade gerada no país.

A população de Rio Branco já se beneficia da energia gerada pelo SIN através do Linhão de Porto Velho a Rio Branco, que está sendo duplicado para garantir ainda mais segurança à transmissão da energia.

“Com a região do Juruá interligada pelo Linhão, teremos o fim do sofrimento das pessoas das cidades que seguem a BR-364 até Cruzeiro do Sul, Mâncio Lima e Rodrigues Alves, onde há ainda um sistema frágil de energia elétrica”, assinalou o governador Tião Viana, ao tratar no ano passado do novo Linhão com o secretário-executivo do Ministério das Minas e Energia, Márcio Zimmermann.

Para Tião Viana, trata-se de uma obra de quase R$ 300 milhões, com o governo da presidente Dilma Rousseff apoiando o Acre e oferecendo melhoria na qualidade da energia elétrica, redução do custo dessa energia e melhor qualidade de vida para as pessoas, as empresas e as indústrias acreanas.

Governador Tião Viana com o secretário-executivo do MME, Márcio Zimmermann, e assessores (Foto: Arquivo Secom)

Com tamanho e característica que permitem considerá-lo único em âmbito mundial, a produção e a transmissão de energia elétrica do Brasil se constitui em um sistema hidrotérmico de grande porte, com forte predominância de usinas hidrelétricas e com múltiplos proprietários.

Previsto para ser construído em 26 meses, o Linhão do Juruá será mais um investimento da múltipla parceria entre o governo Tião Viana e o governo da presidente Dilma Rousseff, que conta com o apoio integral do ministro das Minas e Energia, Edison Lobão, para integrar todo o Acre ao Sistema Interligado Nacional, garantindo uma energia elétrica de maior qualidade para a população do Estado.

O SIN é formado pelas empresas das regiões Sul, Sudeste, Centro-Oeste, Nordeste e parte da Região Norte. Apenas 3,4% da capacidade de produção de eletricidade do país, que ainda inclui a região do Juruá, ainda se encontra fora do SIN, em pequenos sistemas isolados, localizados principalmente na região amazônica.

Duas linhas de transmissão com 657 quilômetros

Construção do Linhão de Rio Branco a Porto Velho (Foto: Arquivo Secom) 

O Linhão de energia elétrica entre Rio Branco e Cruzeiro do Sul consta do Lote H do Edital nº 07/2012, da Aneel, que prevê a construção de duas linhas de transmissão entre a capital do estado e a chamada "capital do Juruá", numa extensão total de 657 quilômetros. A primeira linha é a que vai de Rio Branco a Feijó, com 357 quilômetros, e a segunda linha sairá de Feijó em direção a Cruzeiro do Sul, com extensão de 300 quilômetros.

A realização do leilão do Linhão no dia 28 de setembro próximo foi comunicada ontem ao representante do governo do Acre em Brasília, Carlos Rebello, pelo secretário-adjunto da Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Energético do Ministério das Minas e Energia, Moacir Carlos Bertol.

Segundo o edital da Aneel, poderão participar do leilão como proponentes, desde que satisfaçam plenamente as disposições do edital e da legislação em vigor, pessoas jurídicas de direito privado nacionais ou estrangeiras, isoladamente ou reunidas em consórcio.

Também poderão participar Fundos de Investimento em Participações (FIP) e entidades de previdência complementar, reunidos em consórcio com outros FIPs e/ou entidades de previdência complementar, desde que o consórcio conte com a participação de uma ou mais pessoas jurídicas de direito privado que não se caracterizem nem como FIP nem como entidade de previdência complementar.

De acordo ainda com o edital, a licitação para a contratação de serviço público de transmissão de energia elétrica inclui a construção, a operação e a manutenção das instalações de transmissão da rede básica do Sistema Interligado Nacional. (Agência-Acre).

Nenhum comentário: