CONTATO: gomesaccioly@gmail.com - 68 99775176

terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Esclarecimento aos leitores do blog: Quem atirou no policial na última sexta feira em Tarauacá, foi um membro da própria policia militar.

Na última sexta feira, eu estava no ginásio de esportes local assistindo a final do campeonato feminino de voleibol quando meu telefone começou a tocar. 

Muitas pessoas me ligando pra dizer que um policial havia sido baleado lá no bairro da praia e que um homem havia rolado o braço de outro com um terçado.

Mesmo com a chuva forte, resovi, então, ir até o quartel da Policia Militar, conversar com os policiais e me inteirar dos fatos. Chegando até o quartel encontrei vários policiais inclusive alguns que participaram das operações. Fui informado por eles que um sujeito, ex-presidiário, havia atirado em via pública lá no Bairro da Praia e quando foi abordado por uma guarnição, atirou contra os policiais acertando a perna de um PM. Que o atirador estava preso e que o policial estava sob cuidados médicos e que não corria risco de morte. Fotografei as armas apreendidas, inclusive a arma que o atirador haveria usado para acertar o policial. Então, essa foi a versão que A Policia Militar passou e eu a publiquei no blog. LEIA AQUI

Na manhã de segunda feira, fui informado de que quem atirou no policial foi outro policial. A informação de que policiais cercaram a residência do atirador, após esse efetuar disparos na guarnição, quando outros dois pms à paisana, inclusive o que foi baleado,  entraram pela porta de trás da residência, ecalaram as armas no atirador e estavam negociando suas rendição. Derrepente, mais dois policiais entraram e atiraram no outro policial pensando que era o bandido. Uma operação considerada atrapalhada e desastrosa.

Portanto, essa é a verdadeira versão dos fatos, inclusive confirmada por alguns membros da PM. Peço desculpas aos leitores pela matéria publicada afirmando que o policial havia sido alvejado pelo atirador preso. Isso não foi verdade. Quem atirou no policial foi um membros da própria PM. 
Cabe agora uma explicação pública por parte da instituição.

Nenhum comentário: