CONTATO: gomesaccioly@gmail.com - 68 99775176

terça-feira, 28 de outubro de 2008

Acre tem a carne mais barata do país, diz Federação da Agricultura

Val Sales - valsales@pagina20.com.br
26-Out-2008
Produção aumenta com as chuvas e o preço deve caiar ainda mais O presidente da Federação da Agricultura do Estado do Acre (Faeac), Assuero Doca Veronez, disse que a carne bovina acreana é a mais barata do país, levando-se em conta as peculiaridades locais e o fato de que o Estado produz com quantidade e qualidade em pastos sem a utilização de tecnologias caras, confinamentos de animais ou consumo de rações à base de grãos.
“Essas singularidades do Estado fazem com que o acreano tenha a carne mais barata do mercado brasileiro e a qualidade sanitária que a possibilita competir com os demais Estados exportadores”, explica. Segundo ele, o Acre tem atualmente um rebanho de 2,6 milhões de cabeças de gado, sendo esse o único produto da área rural que se destaca na exportação em quantidade e qualidade.
Veronez lembra ainda que 70% da carne produzida no Acre são exportadas para Estados como Manaus e São Paulo, sendo que esse último serve de distribuidor para outros centros como o Rio de Janeiro e Paraná. O Selo de Qualidade credencia a exportação desse produto para cidades que ficam a mais de três mil quilômetros de distância.
“O fato de o boi acreano comer somente capim lhe garante uma qualidade maior assim como um sabor diferenciado em relação ao animal confinado e alimentado à base de grãos e ração, entre outras tecnologias”, enfatiza. Ainda de acordo com ele, o acreano é um consumidor de carne no mesmo nível do gaúcho e que a partir do mês de janeiro, com a intensificação das chuvas, os pastos melhoram, a produção aumenta e conseqüentemente o preço deverá cair ainda mais.
A afirmação de Assuero Veronez é contestada pelo açougueiro, Francisco da Silva Feitosa, proprietário de um dos boxes do Mercado Municipal Elias Mansour. Ele garante que nos últimos tempos a carne vem aumentando de preço pelo menos duas vezes na semana. “Os aumentos são de 10 e 15 centavos, mas a população observa e reclama bastante”, ressalta.
Francisco diz que há alguns meses comercializava até dois bois por dia e hoje vende um ou metade de um. “O custo subiu ainda mais depois que o Acre passou a exportar o produto para outros Estados do país”, reclama. No Box de Francisco a carne de primeira como a alcatra custa R$ 10, o filé custa R$ 15 e a bisteca, R$ 7. “A carne de segunda, moída, custa R$ 7 e costela R$ 4.”

Nenhum comentário: