CONTATO: gomesaccioly@gmail.com - 68 99775176

domingo, 28 de maio de 2017

ACRE: Aumentam os casos de Aids no Estado, aponta relatório do MS


Os números assustam: 623 casos de Aids registrado no Acre, segundo as estatísticas disponibilizadas pela coordenação estadual de DST\ Aids, no período de 2002 a 2016. Os dados coletados apontaram que o estado teve uma redução dos casos, quando comparado os dois últimos anos, pois em 2015 foram registrado 72 casos, enquanto em 2016, apenas 63 casos.

Rio Branco lidera os indicadores, com 409 casos de Aids, seguido de Sena Madureira, com 43 casos; Cruzeiro do Sul 27; Senador Guiomard 20; Manoel Urbano 16; Brasileia 14; Acrelândia e Plácido de Castro, 12 casos; Porto Acre 8 e Epitaciolândia 6 casos.

Os pacientes soropositivos já chegam a 404 casos diagnosticados, segundo o levantamento da Secretaria de Estado de Saúde (Sessacre). Os números estão assim distribuídos: 255 masculinos e 149 femininos. No ano passado, foram diagnosticados 129 casos soropositivos. Em 2015, 119 casos com sorologia positiva. “Sempre que realizamos campanhas diagnosticamos novos casos”, revelou Nelson Roberto de Araújo Guedes.

Para reduzir a incidência da doença no país, segundo Nelson, o Ministério da Saúde (MS) tem disponibilizado o tratamento antirretroviral (TARV), inclusive disponibilizado a Profilaxia Pós Exposição (PEP) ou a profilaxia pré-exposição (PREP). Explicou que o PEP consiste no uso de medicamentos antirretrovirais para reduzir o risco em situações de exposição ao vírus. O PREP a aplicação do uso oral diário de antirretroviral por pessoas não infectadas pelo HIV, mas que mantiveram contato com pessoas soropositivas.

De acordo com o Boletim Epidemiológico de HIV/AIDS de 2016, existe uma tendência de aumento na proporção de casos de AIDS em homens que mantêm relação sexual com outros homens, pois, nos últimos dez anos, os indicadores passaram de 35,3% em 2006 para 45,4% em 2015. Outras vítimas da doença são os usuários de drogas e profissionais do sexo.

Em 2006, para cada 1 caso em mulher, havia 1,2 casos em homem. Em 2015, essa equação mudou, pois agora é de 1 caso em mulher para cada 3 casos em homens. O número de mortes relacionadas à AIDS no Brasil foi estimada pelo UNAIDS em torno de 15 mil em 2015.

Cezar Negreiros

Nenhum comentário: