CONTATO: gomesaccioly@gmail.com - 68 99775176

quarta-feira, 30 de novembro de 2016

ASSIS BRASIL: Desvio na prefeitura do município chega a R$ 8 milhões; quadrilha usava faxineiros e zeladores como ‘laranjas’

Prefeito Betinho foi afastado do cargo
Gina Menezes/Folha do Acre - Em entrevista coletiva concedida na manhã desta terça-feira (29), na cidade de Epitaciolândia, o superintendente da Polícia Federal (PF) no Acre, Chang Fan, o delegado da PF no Alto Acre, Fares Feghali, e o agente Douglas Dagosti deram detalhes sobre a operação “Homem de Palha”, desencadeada em Assis Brasil e mais 2 estados e o Distrito Federal, que resultou na condução coercitiva do prefeito da pequena cidade da fronteira, Humberto Filho, e mais três secretários municipais.

As autoridades revelaram que o valor estimado do desvio de dinheiro da prefeitura de Assis Brasil é de no mínimo R$ 8 milhões, e frisaram que a corrupção nas prefeituras da fronteira foi tão grande que garantiu braços, ramificações, em outros locais do país.

O delegado responsável pelo caso, Fares Feghali, afirma que há indícios de que havia uma verdadeira organização criminosa dentro daquela prefeitura atuando no desvio de verbas, lavagem de dinheiro, entre outros crimes.

“Foi uma investigação em que se apresentou pela prisão dos envolvidos e afastamentos dos cargos em junho, mas só que em razão da prerrogativa de foro houve essa demora que é normal nos processos de tribunais”, disse ao frisar que o afastamento do prefeito e de três secretários vai surtir efeito na prevenção dos crimes.

De acordo com Chang Fan, o principal foco da operação era realmente averiguar o desvio de verbas públicas por contas dos indícios de falsificação de notas, fraudes em licitações, entre outros crimes cometidos contra a administração pública.

Fares Fegahli, delegado da PF naquela região, afirmou que trata-se de uma extensa investigação que durou quase dois anos.

A respeito de como funcionava o esquema criminoso, o agente Douglas Dagostin afirma que haviam pessoas em outros estados que atuavam em conluio com os gestores de Assis Brasil.

Para o agente, esta é a prova de que a corrupção na fronteira atingiu outros locais do país.

“Para se ter noção de como a corrupção se expandiu aqui no Alto Acre. Antigamente começava em uma prefeitura e agora são em várias e ainda chegam a outros estados”.

A operação envolveu 90 policiais e 80 viaturas.

A expressão “Homem de Palha” (straw man), tem origem na língua italiana e é utilizada para se referir a quem oculta patrimônio e valores em nome de outros, os conhecidos “laranjas”. O nome foi escolhido em razão de grande parte dos desvios terem ocorrido por meio de empenhos em nome de funcionários da Prefeitura de Assis Brasil que não sabiam de nada, a exemplo de faxineiros e zeladores.

Nenhum comentário: