CONTATO: gomesaccioly@gmail.com - 68 99775176

quarta-feira, 5 de outubro de 2016

Greve dos bancários completa 29 dias e categoria segue sem previsão de novas negociações

ContilNet - A greve dos bancários completou 29 dias nesta terça-feira (4), 60% dos profissionais da categoria no Acre aderiram ao movimento nacional e com isso 80% das agências permanecem de portas fechadas.

Até esta terça, as reivindicações da categoria não foram atendidas pela Federação Nacional dos Bancos (Fenaban), a última tentativa de negociação aconteceu na quarta-feira (28), quando a proposta de 7% de reajuste e abono de R$ 3,5 mil não foi aceita pelo Comando Nacional de Greve. Segundo o presidente do sindicato dos bancários no Acre, Edmar Batistela, a proposta não atende aos anseios da categoria:

“O Comando Nacional dos Bancários repudia a falta de diálogo com a Fenaban. Por isso, nós queremos que os banqueiros retornem para mesa de negociação com uma proposta decente aos bancários Não essa proposta vergonhosa apresentada na última rodada de negociações”, disse Batistela.

Ainda segundo o sindicato, não há previsão para uma nova rodada de negociações, com isso a greve permanece sem previsão de término.

Reivindicações

Os bancários reivindicam reajuste salarial de 14,78%, o que significa 5% de aumento real acima da inflação, além de participação nos Lucros e Resultados (PLR) de três salários, mais R$ 8.317,90 fixos para todos.

A categoria quer também piso salarial de R$ 3.940,24 (equivalente ao salário mínimo do Dieese em valores de junho último). Outra importante reivindicação diz respeito aos vales alimentação, refeição, 13ª cesta e auxílio-creche/babá no valor de R$ 880,00 ao mês para cada (salário mínimo nacional).

Além disso, os bancários ainda querem melhores condições de trabalho, com o fim das metas abusivas e do assédio moral. Garantia do emprego, mais contratações, fim da rotatividade e combate às terceirizações diante dos riscos de aprovação do PLC 30/15 no Senado Federal, bem como a ratificação da Convenção 158 da OIT, que coíbe dispensas imotivadas.

Nenhum comentário: