CONTATO: gomesaccioly@gmail.com - 68 99775176

quinta-feira, 4 de agosto de 2016

Líder de ‘Bonde dos 13’ comanda crime de dentro de presídio e cumprirá pena em presídio federal

Juiz de Direito Clovis de Souza Lodi condenou Lucival Lopes de Souza, o ‘Pitaco’; Ismael Ferreira Liberato da Costa, o ‘Remison’; e Francisco dos Santos Coimbra, o ‘Rico’, pelos crimes de roubo consumado, roubo tentado e corrupção de menores, em Brasileia. De acordo com as investigações, ‘Rico’ é um dos líderes da facção criminosa ‘Bonde dos 13’. A denúncia foi feita pelo Ministério Público do Estado do Acre (MPAC).

O caso tem a agravante de envolver a organização criminosa ‘Bonde dos 13’, que atua no Acre, principalmente em Rio Branco e Brasiléia. De acordo com o MPAC, o comando para o crime partiu de dentro do presídio Francisco de Oliveira Conde, em Rio Branco.


O foco da facção costuma ser o tráfico de drogas, roubo de veículos com destino à Bolívia, corrupção de menores para que integrem a facção e pratiquem os crimes, bem como, homicídios, latrocínios etc.

Quando capturados, os integrantes costumam negar qualquer envolvimento nos crimes e na facção, sob pena de terem sua vida e de familiares ceifadas a mando de líderes da facção que, segundo as investigações, um deles seria Francisco dos Santos Coimbra, o ‘Rico’.

Os fatos

De acordo com a promotora de Justiça de Brasileia, Maria Fátima Teixeira, no dia 24 de novembro de 2015, Pitaco recebeu o comando de um dos líderes da facção, o Rico, de dentro do presídio Francisco de Oliveira Conde, por telefone, para que realizasse o roubo de uma caminhonete em Brasileia.

Pitaco, então, juntamente com o adolescente P. H. L. da S., se deslocou à Brasileia para executar a ordem recebida. O dinheiro da venda da caminhonete deveria ser entregue a ‘Rico’.

Em Brasileia, o denunciado e o adolescente se deslocaram à residência de ‘Remison’, a fim de pegarem as armas de fogo, um revólver calibre 38 e um 32, deixadas pelo adolescente C. A. C. A. para serem usados na empreitada.


De posse das armas, Pitaco e P. H. L. da S. seguiram para o Bar Pé de Ferro, onde avistaram duas caminhonetes estacionadas. Ali, renderam as vítimas e exigiram as chaves dos veículos, uma Amarok, de propriedade de José Uilian da Silva Maciel, e uma Hilux, de propriedade de Ademir Ferreira da Silva.

Na ocasião, a vítima Ademir negou entregar a chave do veículo aos criminosos e foi agredido com uma coronhada de revólver em seu rosto, ocasionando lesões.

Os denunciados fugiram do local levando a Amarok e se dirigiram à Bolívia. Ali, deixaram o veículo para venda. Posteriormente, retornaram à residência de Remison para devolveram as armas de fogo utilizadas no crime.

De acordo com o MPAC, nesse ínterim, os denunciados foram vistos pelo sistema de segurança próximo ao local e, logo após, foram presos em flagrante, quando tentavam se deslocar para Rio Branco.

A pena

Os réus foram condenados pelos crimes de roubo consumado, roubo tentado e corrupção de menores. Lucival Lopes de Souza, o Pitaco, a 13 anos e 9 meses em regime penitenciário fechado. Ismael Ferreira Liberato da Costa, deve cumprir 4 anos, 5 meses e 12 dias em regime penitenciário semiaberto.

O juiz decretou a prisão preventiva de Francisco dos Santos Coimbra, o ‘Rico’, por ter planejado e ordenado os crimes de roubo e corrupção de menores, além da aplicação da lei penal, por manter contatos com malfeitores da Bolívia, que receptam principalmente carros roubados no Brasil, o que configura um indicativo de que ele teria guarida no país vizinho.

“As penas somam 35 anos de reclusão no regime penitenciário fechado. O Ministério Público também pediu que Rico fosse para o regime disciplinar diferenciado, a ser cumprido em presídio federal, o que foi determinado pelo juiz”, esclarece a promotora de Justiça Maria Fátima.

ASCOM MP/AC

Nenhum comentário: