CONTATO: gomesaccioly@gmail.com - 68 99775176

quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Especialista em segurança afirma que não houve erro em abordagem e nem na tentativa de imobilização de suspeito que atirou em PM


Imagens congeladas do vídeo que mostra a abordagem da Policia Militar no episódio que culminou com a morte do sargento PM Alexandre Aparecido, ontem, no bairro Floresta, em Rio Branco, mostra o momento em que o principal acusado pelo disparo, Kennedy Magalhães, pega a arma do coldre frontal do colete da vítima.

O ac24horas ouviu um especialista em defesa pessoal e no treinamento de policiais militares nos estados do Acre e Rondônia, Marcos Mustafa, para responder a questionamentos que continuam repercutindo pelas redes sociais, sobre erros na abordagem militar.

LEIA MAIS:

Analisando o vídeo que vazou pela internet, Mustafa afirmou que não houve erro na abordagem e muito menos na tentativa de imobilização de Kennedy Magalhães. “No momento em que o agente reage a uma abordagem legal, ele se torna em um elemento perigoso. Em qualquer lugar do Brasil e do mundo a reação seria a que se viu, ou seja, todos tentando imobilizar o meliante”, explica Mustafa.

Marcos chama atenção para a reação dos militares que, mesmo fortemente armados, em momento algum utilizaram nem cassetetes, “mas simplesmente as mãos para evitar excesso na abordagem que a princípio seria simples”, acrescentou.

O vídeo mostra que o braço esquerdo de Kennedy Magalhães era o último que faltava ser imobilizado. “O meliante agiu na oportunidade que viu a arma no coldre frontal do colete, ele estende o braço esquerdo com a intenção de tomar a arma e efetuar disparos”, comenta Mustafa.

O especialista chama atenção ainda para a atitude de Kennedy que, segundo Mustafa, para evitar a resposta com fogo (tiro) por parte dos demais agentes policiais envolvidos na operação, após o disparo contra os sargento, joga a arma que cai próximo de Alexandre já atingido e agonizando ao chão. “A intenção dele estava clara desde o momento em que reagiu a um comando legal”, volta a analisar.

Segundo representantes da Associação dos Militares do Acre, o sargento atingido era um dos melhores da caserna, obtendo primeira colocação em todos os cursos que fez. O tiro da pistola pode ter rompido a veia horta do sargento que morreu na hora.

“Pessoas filmando a ação policial podem ter contribuído para a ação inesperada do meliante que se utilizou dessa situação para chamar a atenção, e ao que tudo indica preliminarmente, puxou a arma do sargento e efetuou um único disparo mortal”, disse Joelson Dias, presidente da AME.

Do AC24Horas

Nenhum comentário: