CONTATO: gomesaccioly@gmail.com - 68 99775176

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

TARAUACÁ: Exposição fotográfica O Haiti (não) é Aqui!!! no Galpão de Cultura


Acontecerá em Tarauacá, a 2ª fase deste projeto multidisciplinar, que envolve o ensino da língua portuguesa, através da musica popular brasileira e exposições fotográficas itinerante. 

A primeira fase foi realizada na capital acriana e agora passará pelo Vale do Juruá, porém antes o projeto será apresentado em Tarauacá.

A Exposição em Tarauacá será realizada no Galpão de Cultura de Tarauacá, localizado na Rua Manoel Viera da Cunha, nº 751, Bairro da Cohab, com abertura no sábado, 01 de novembro, às 19:30h, com show de banda local e permanecerá até o dia 19 de novembro. 

Também acontecerão duas oficinas, ambas gratuitas: 

Oficina de Contação de Estórias com Mirna Rosário – no dia 31/10 (sexta), às 15 horas no Galpão da Cultura – Vagas limitadas – inscrição no Galpão da Cultura. 

Oficina de Fotografia com Alex Kblo – no dia 01/11 (Sábado), às 15 horas no Galpão da Cultura – Vagas limitadas – inscrição no Galpão da Cultura. 



Sobre o Projeto 

Com a intenção de trazer a comunidade acreana à instrumentalização sobre o cotidiano destes recém-chegados em nosso país e a realidade de sua diáspora, nasce o Projeto de Exposição Itinerante e Oficinas de Língua Portuguesa “O Haiti (não) é aqui !!!” 

Cada um destes imigrantes, seja ele haitiano, senegalês ou dominicano, traz em sua pequena mala o sonho que consegue carregar, a vontade de vencer e um sorriso largo em suas peles negras e ossos longos. Vê no Brasil uma oportunidade de recomeço de sua vida, um braço estendido, uma mão amiga, que os recebe de forma caridosa e singela. 

O Álbum Fotográfico “O Haiti (não) é aqui !!!”, ainda em construção, que faz uma alusão à canção de Caetano Veloso e Gilberto Gil, traz através dos cliques de uma lente 18-55mm não apenas um registro fotográfico, mas a coragem e a esperança de pessoas que tiveram suas vidas interrompidas pelo último abalo sísmico de grandes proporções no Haiti e as crises financeiras em países como República Dominicana e Senegal. E lutam contra este estigma de imigrantes e a xenofobia em suas vidas, buscando no Brasil um novo começo. 

A partir deste contato com esses quase brancos, quase todos pretos, surgiu a ideia de oferecer mini-oficinas de língua portuguesa, através de letras da música popular brasileira, aos recém-chegados, utilizando a experiência de Alex Kblo como professor de línguas estrangeiras, outrora. 

Inspiradas pela Pedagogia do Oprimido de Freire e pelo Teatro do Oprimido de Boal, as aulas se propõem a transmitir vocabulário através de interações divertidas, e não no sombrio ambiente de uma sala. Essas aulas acontecem ao ar livre no atual abrigo, abertas também à comunidade local. No intuito de diminuir o ócio em que permanecem enquanto resolve sua situação legal em nosso estado, esses estrangeiros também sofrem com dificuldades de comunicação, típicas para quem chega a um local cujo idioma não compreende. 

O ensino da língua portuguesa aos recém-chegados não somente lhes será útil no dia-a-dia, mas trará uma interação com a comunidade local. O uso da música também seria a ferramenta ideal de introdução a importantes elementos da Cultura e da História Brasileiras, vide o caso de Gilberto Gil, estudado durante as oficinas, 1º Ministro negro no Brasil, da Cultura. 

O projeto acontecerá em 3 fases, em todas elas haverá o ensino da língua portuguesa através de Oficinas no atual abrigo dos imigrantes, na Chácara Aliança, na Estrada do Irineu Serra. Nesta fase, a exposição itinerante será no Galpão de Cultura de Tarauacá (Novembro) e na Praça Central Orlei Cameli em Cruzeiro do Sul (Novembro/Dezembro). 

A execução deste projeto está sendo possível pelo patrocínio da Fundação de Cultura e Comunicação Elias Mansour e o Governo do estado do Acre, através do edital Cultura e Comunidade Grupos e Pessoas 2013. 


Sobre o Fotógrafo 

Sob a égide das artes visuais, o fotógrafo Alex Kblo, 30 anos, paulista, formado em Engenharia da Computação pela USP e pela École Polytéchnique de Paris, já passou por 59 países registrando através de suas lentes, o seu olhar sobre esses lugares. E, agora, vem ao Acre para fazer o registro da diáspora haitiana. 

Desde Novembro de 2013, Alex está em terras acreanas. Seu primeiro contato com estes imigrantes se deu em Brasiléia. Indo além da fotografia, ministrou aulas de língua portuguesa. Assim nasce “O Haiti (não) é aqui !!!”, no intuito de dar continuidade às atividades de registro fotográfico das histórias vivenciadas pelos imigrantes ainda no 6º Alojamento em Brasiléia e das aulas de português. 


Sobre a Produtora 

Graduanda em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Acre, Mirna Rosário, 30 anos, acreana, produtora cultural e contadora de estórias, tem a história de sua vida permeada pelas artes. Iniciou em 2003 sua carreira artística como atriz e produtora pelos grupos de teatro que transitou. Atualmente, não mais atriz, porém produtora esteve à frente de projetos culturais como o Ponto de Cultura Arte e Cultura em Favor de Cidadania na ADEVI. 


Mirna Rosário (9935-5541) e Alex Kblo (9239-2396).

Contatos e Informações 
Alex Kblo (Fotógrafo e Proponente do Projeto) – 9239-2396 
Mirna Rosário (Produtora) – 9935-5541 
Email: ohaitinaoeaqui@gmail.com 
Facebook: O Haiti (não) é aqui!!! 
https://www.facebook.com/groups/274966852702855/

Nenhum comentário: