CONTATO: gomesaccioly@gmail.com - 68 99775176

quinta-feira, 28 de março de 2013

TARAUACÁ: DEFINIDAS SEIS NOITES DE SHOWS NO CENTENÁRIO DO MUNICÍPIO

As atividades de comemorações do aniversário de Tarauacá, começam ser definidas pela prefeitura do município. Na área de shows musicais o evento será recheado de shows diversificados para atender todos os públicos presentes no evento.

MACILVO (Shaneihu Yawanawa): Um show com um jovem cantor indígena filho da terra que ja se apresentou em diversas partes do mundo, marcará a abertura das festividades.

veja a lista dos principais shows:

19/04 - SHOW MACILVO YAWANAWÁ 
20/04 - SHOW SUELEN LIMA
21/04 - SHOW CLEITON SARAIVA
22/04 - SHOW THIAGO BRABA
23/04 - SHOW CAVALEIROS DO FORRÓ
24/04 - SHOW ZEZO (ENCERRAMENTO)
E MUITAS OUTRAS ATRAÇÕES NO DECORRER DA SEMANA DO CENTENÁRIO.


SHANEIHU YAWANAWA : SONORIDADE INDÍGENA DE ARREPIAR OS PELOS DO CORPO - Adaptado da Agencia de Notícias do Acre e VídeoDoc sobre o artista

Conta a lenda indígena dos povos Pano que o criador, Nuke Sheni, deu um dom a cada povo. Ao nascer, cada povo pegava o seu cocar, o maitê, e o seu dom. Aos Yawanawa, o povo da queixada, coube o dom do canto. O dom de cantar tão bem que suas vozes seriam como melodias, com uma sonoridade que nenhuma outra etnia poderia alcançar. Eles são o Yuveya Vakehu Shuvia, o povo que trata as doenças cantando, só com a voz, sem o uso de instrumentos musicais.

Shaneihu Yawanawa nasceu nas cabeceiras do rio Gregório, próximo à fronteira do Acre com o Peru. Filho do líder Yawanawa Biraci Brasil (Nixiwaka) e neto do pajé Yawarani, um dos curandeiros mais antigos de sua tribo vem acompanhando, desde sua infância os trabalhos espirituais realizados pelo seu povo. Há três anos promove trabalhos de cura através dos cantos e das medicinas da floresta. Além dessas práticas espirituais, desde 2005 desenvolve também seu trabalho artístico musical com a finalidade de difundir a cultura Yawanawa.

“Quando eu vim embora da aldeia, minha intenção foi adquirir informações do que acontece aqui na cidade. Não que a gente viva isolado, mas é muito difícil saber o que acontece fora da floresta” confessa ele. “Em 2008, quando fui participar do Acústico em Som Maior, viajei para a aldeia para me preparar psicologicamente. Pedi muita força e muita energia para abençoar minha apresentação”. Shaneihu compara o dom de cantar com a sensação de como se estivesse flutuando sob a água. “Amo a música e cada vez que eu canto, me sinto mais motivado para cantar ainda mais. É como flutuar sob a água: uma sensação única”.

No ano passado, um grupo de produtores culturais de Rio Branco desenvolveu um minidocumentário sobre Shaneihu, que leva seu nome. Disponível no YouTube, o vídeo mostra um pouco dos dias de Rio Branco, enquanto apresenta a sonoridade do artista como fundo musical. Sua mãe lhe presentou, aos 18 anos, com um violão e, numa reaproximação com sua cultura tradicional, ele começou a incluir formas de traduzir a cultura Yawanawa, ou seja, torná-la acessível ao público em geral. O primeiro insight para a tradução dessa cultura musical foi a inserção do violão ao canto indígena Yawanawa.

A partir de sua vivência com os rituais de seu povo e na tentativa de revitalizar aspectos da tradição, Shaneihu se pôs a reler canções e compôs para a vivência das novas gerações, trazendo costumes, língua, melodias, ritmo e outros elementos. A base de seu trabalho é transmitir os sentimentos que ele mesmo vivencia na sua aldeia para todo o público do Acre. 

E aí? Tá afim de sentir um arrepio prévio? Então dá uma assistida no VídeoDoc e naapresentação singela no sítio da Comissão Pró-Índio – CPI em Rio Branco.

fonte: http://www.festivalvaradouro.art.br/tag/shaneihu-yawanawa/

Nenhum comentário: