CONTATO: gomesaccioly@gmail.com - 68 99775176

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Ponte da Liberdade: Governo interliga definitivamente os vales do Acre e Purus

om lideranças de Manuel Urbano e Sena Madureira, governador Binho Marques atravessa a ponte que liga o Vale do Purus ao Vale do Acre. (Foto: Gleilson Miranda/Secom)

Manuel Urbano já não sofre mais com o isolamento rodoviário durante o inverno. Quarenta anos depois de seu início, a BR-364 agora oferece amplas condições de tráfego de Rio Branco a Sena Madureira e dali a Manuel Urbano. Os usuários podem utilizar a ponte sobre o rio Purus, que fica a 14 quilômetros do centro de Manuel Urbano, que está em fase de conclusão.
Com 477 metros de comprimento, a ponte é atualmente a maior do Acre. Quando a do rio Juruá for inaugurada, será a segunda em extensão. O governador Binho Marques a batizou de "Ponte da Liberdade", uma alusão a um dos discursos que fez há quatro anos, na assinatura da ordem de serviço para asfaltamento do trecho de Feijó a Sena Madureira, ato ocorrido em Cruzeiro do Sul.
Binho afirmou que a rodovia poderia ser chamada de "Estrada da Liberdade", devido a sua importância na integração do Acre. A ponte sobre o Purus, no momento em que está liberada ao uso público, e as excelentes condições do trecho de Sena Madureira até Manuel Urbano fazem uma via lúdica e ao mesmo tempo real de libertação.
A BR-364 e suas pontes que intercalam seu curso são um sonho do que começou a ser realizado em 1971, quando a BR-29, depois chamada BR-364, começou a ser aberta pelo 5º e 7º Batalhões de Engenharia e Construção do Exército Brasileiro. As pontes não estavam previstas no projeto original e Binho Marques deu início a um processo de convencimento que, apesar da resistência dos técnicos nos ministérios em Brasília, contou com o apoio decisivo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Amigo do Acre, Lula fez a seguinte observação sobre a necessidade de pontes de qualidade na BR 364: “Uma estrada sem pontes é como uma perna sem joelho”. Com Lula e o compromisso de Binho com a integração do Estado, perto de R$ 1 bilhão foi investido na BR nos últimos quatro anos.
Binho visitou a ponte do Purus nesta quinta-feira, 23, liderando uma caravana de secretários de Estado, autoridades civis e militares, deputados estaduais da atual e da próxima legislatura e também do senador recém-empossado Aníbal Diniz. A visita marcou a ligação definitiva de Rio Branco a Sena Madureira e Manuel Urbano.
Nos próximos 45 dias, serão feitos os serviços remanescentes nessa ponte, conforme informou Marcos Alexandre, diretor do Departamento Estadual de Estradas de Rodagem, Hidrovias e Infraestrutura Aeroportuária do Acre (Deracre), ao lembrar os desafios para tocar a obra - um barco afundado havia décadas impedia a implantação de uma pilastra, e a cabeceira do rio na margem sentido Sena Madureira não oferecia condição de fazer aterro menor que 12 metros de altura, mas os engenheiros encontraram uma solução e o aterro é de 6,5 metros.
O governador Binho Marques estava especialmente feliz por ter percorrido de ônibus o trecho de Rio Branco à ponte do Purus, confirmando que a estrada realmente oferece todas as condições de tráfego, assim como a ponte, mesmo não estando completamente pronta, pode ser liberada para a passagem de veículos. Binho falou sobre a importância da BR-364 para o desenvolvimento do Acre: “Não existe mais contradição entre a obra da BR-364 e o nosso projeto de desenvolvimento sustentável”.


Integração cultural, econômica e social entre os vales do Acre, Iaco e PurusTodos têm uma opinião acerca da interligação entre os vales do Acre, Iaco e Purus, proporcionado pelo asfaltamento da BR-364 de Rio Branco a Manuel Urbano. Autoridades e antigos ou novos moradores da região do Purus e Iaco afirmam que as mudanças são grandes e que esperam impactos positivos com a rodovia. Até pouco tempo, Manuel Urbano só tinha acesso por avião durante o período de chuvas. Agora, os trechos que não estão asfaltados - e são só pouco mais de oito quilômetros - estão com toda a condição para dar tráfego o ano inteiro, mesmo diante do mais rigoroso inverno.  

fonte: Agência de Notícias do Acre

Nenhum comentário: